Palmas, Tocantins -

Plantão de Polícia

Ver comentários
1204 Sul
9.000 visualizações

Consternados, amigos e parentes velam Heidy, professora morta a facadas em casa

A professora foi encontrada com quatro perfurações pelo corpo, nua, caída ao lado da cama, dentro da própria casa. Amigos e familiares não entendem o que aconteceu e estão arrasados.
- Atualizada em
Professora é encontrada morta dentro de casa Reprodução

Familiares e amigos velam, consternados, o corpo da professora da ETI Padre Josimo Tavares, Heidy Ayres Leite Moreira, 34 anos, na manhã desta segunda-feira, 8, na Igreja Assembleia de Deus na Quadra 1.106 Sul, em Palmas. Ela foi encontrada morta com quatro facadas pelo corpo, nua, caída ao lado da cama dentro de sua própria casa na noite do sábado, 6, após amigos e familiares não conseguirem contato desde a sexta-feira.

 

Alguns colegas de trabalho ouvidos pelo Portal T1 Notícias acreditam que a professora possa ter sido vítima de um crime passional, mas não há informações oficiais que confirme isso.

 

Uma amiga da professora Heidy Ayres, professora Ana, declarou que a família e os amigos mais próximos, como ela, não conseguem encontrar razões para o crime bárbaro. Ana disse que estão todos “arrasados” e se sentindo surpreendidos. “Ninguém está acreditando no que aconteceu”.


A amiga da professora trabalhava com ela desde 2011 e garante: “Heidy era uma pessoa alegre, feliz, muito companheira, muito cheia de vida, disposta a estar com os amigos e sempre a ajudar. A gente sempre estava juntas. Nos reunimos sempre para  conversar”.

 

“Ninguém consegue entender, encontrar ou supor alguma coisa que possa justificar isso. Ela estava animada porque ia para uma nova escola”, contou a amiga.

a

 

Crime aconteceu quando família estava fora

A professora Heidy Ayres estava implantando um projeto na Escola Municipal Anísio Teixeira, em Palmas. Segundo a amiga, quando o crime aconteceu, o marido da professora e os dois filhos do casal estavam fora. “Eles tinham ido viajar e ela havia ficado justamente por causa do trabalho. Ela tinha que ir a escola no sábado”, contou a professora Ana.

 

A amiga disse que a vítima não transparecia qualquer problema de relacionamento ou outra coisa. “Na sexta-feira, ela já tinha ido para nova escola iniciar o projeto e estava muito animada”, contou.

 

Entenda o caso

Segundo a Polícia Militar (PM), o corpo da professora Heidy Ayres foi encontrado no sábado, 6, por volta das 22 horas, após colegas de trabalho tentarem falar com ela pelo celular e não obter retorno.

 

Os colegas da vítima relataram que a professora não havia ido ao trabalho e não atendia o celular, segundo a PM. Os colegas foram então até a casa da professora, pularam o muro e, pela janela, viram o corpo da professora no chão, ao lado da cama, nua e rodeada de uma poça de sangue.

 

No relatório da PM consta que a perícia informou que as agressões foram praticadas na cama da vítima e que ela estava com quatro perfurações de arma branca, sendo duas no abdômen, uma nas costas e outra na região do pescoço. A perícia também encontrou três perfurações no lençol. 

 

Nota de Pesar - Semed

A Secretaria Municipal da Educação (Semed) lamenta profundamente o falecimento da professora Heidy Aires Leite, ocorrido no último final de semana. A professora foi encontrada morta em sua residência com perfurações por arma branca. O corpo de Heidy está sendo velado na Igreja Assembleia de Deus da 1106 Sul, e será sepultado às 10 horas no Cemitério Jardins das Acácias.

 

Heidy era professora efetiva da rede municipal de ensino desde 2011. Atualmente estava lotada na ETI Anísio Teixeira, onde assumiria a função de supervisora escolar.