Palmas, Tocantins -

Plantão de Polícia

Ver comentários
Em Palmas
5.609 visualizações

Empresário da Capital segue internado após quebrar muro em suposto surto

Conhecido empresário do ramo alimentício da Capital, passou o fim de semana internado sob efeito de sedativos para conter a agressividade decorrente de um aparente surto psicótico.
- Atualizada em

Um suposto surto psicótico é a causa atribuida à destruição de um muro em setor residencial na área central do Plano Diretor da capital, que motivou a intervenção da PM e encaminhamento ao HGP de um conhecido empresário do ramo alimentício, situado à avenida Palmas Brasil.

 

Na manhã desta segunda-feira, 11, o T1 Notícias buscou a atualização do quadro clínico do empresário junto à assessoria de imprensa do Hospital Geral de Palmas (HGP) sem sucesso. Em off, o portal apurou que o rapaz passou o fim de semana internado sob efeito de sedativos para conter a agressividade decorrente de um aparente surto psicótico. Por email e telefone, a assessoria disse que não está autorizada a passar qualquer informação sobre o paciente sem o consentimento da família.

 

Na sexta-feira, 8, o empresário bateu o carro contra o muro da própria casa, que ficou completamente destruído. De acordo com a Polícia Militar, o acidente teria sido provocado, uma vez que o homem estava visivelmente alterado e precisou ser detido com algemas, enquanto tentava explicar aos gritos para a polícia a causa do seu comportamento. 

 

A agitação chamou atenção de vizinhos e curiosos, que observavam à certa distância a abordagem policial conduzida com o intuito de acalmar o descontrole emocional. 

 

Conforme a PM, que chegou em duas viaturas, a reação foi supostamente motivada por uma crise de ciúmes. No vídeo que foi amplamente compartilhado nas redes sociais, gravado por uma testemunha que passava pelo local, ele aparece esbravejando o que teria ocasionado sua fúria. 

 

As imagens foram registradas antes da chegada da equipe médica do Samu, que prestou os primeiros atendimentos ainda em frente à casa do empresário. Além dos demais dispositivos de segurança, ele teve mãos e pés amarrados na maca em que foi levado para a unidade de saúde.