Palmas, Tocantins -

Plantão de Polícia


Operações Brutus e Hastati
2.958 visualizações

Grupo suspeito de corrupção e lavagem de dinheiro é alvo de duas operações da PF

Aproximadamente 30 policiais cumprem 6 mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 4ª Vara Federal no Tocantins, nas cidades de Palmas e Natividade.
- Atualizada em
Divulgação

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 10, as Operações Brutus e Hastati, visando desarticular organizações criminosas envolvidas em um sofisticado esquema de corrupção no Tocantins.  Aproximadamente 30 policiais cumprem 6 mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 4ª Vara Federal no Tocantins, nas cidades de Palmas e Natividade. As operações Brutus e Hastati apuram prejuízos de mais de R$ 10 milhões aos cofres públicos.

 

Conforme informações preliminares da PF, as operações de hoje ocorrem após a deflagração de diversas outras, no qual Polícia Federal tomou conhecimento da existênciade de outros esquemas criminosos ligados a pessoas influentes no meio político do Tocantins, com poderes suficientes para aparelhar o Estado, desviar recursos públicos e agir nas mais diversas frentes para garantir que as ações ilícitas se mantivessem encobertas.

Durante as investigações, a Polícia Federal descobriu que as organizações criminosas mantinham um sofisticado esquema para a prática constante e reiterada de atos de corrupção, fraudes em licitações, desvio de recursos públicos, lavagem de capitais e atos de embaraço às investigações, sempre com o objetivo de acumulação criminosa de riquezas em detrimento aos cofres públicos e manutenção dos esquemas ilícitos. 

 

As organizações criminosas movimentaram dezenas de milhões de reais através de um grupo empresarial do ramo gráfico, estimando-se prejuízos superiores a R$10 milhões, somente aos cofres da União. 

 

Os investigados poderão responder pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, desvio de recursos públicos, fraudes em licitações e embaraço às investigações, cujas penas somadas ultrapassam 40 anos de reclusão. O nome Brutus faz referência a um dos mais famosos traidores da história.

 

Hastati, por sua vez, remete à antiga linha de frente do exército romano, em virtude da audácia das ações e postura de enfrentamento da organização criminosa.

 

Por enquanto, nenhum nome dos envolvidos nas organizações criminosas foi divulgado.