Palmas, Tocantins -

Plantão de Polícia


Polícia Civil
680 visualizações

Homem é indiciado por furto de dez quilos de carnes nobres, entre filé e picanha

Ele já possui várias passagens pela polícia por crimes contra o patrimônio em Araguaína
- Atualizada em
Descrição: Suspeito aparece em câmera de circuito de vigilância Divulgação SSP -TO 

A Polícia Civil do Tocantins, intermédio da 26ª Delegacia de Polícia Civil de Araguaína, concluiu, nesta segunda-feira, 11, as investigações referentes ao furto de dez quilos de carnes nobres (filé e picanha) avaliados em aproximadamente trezentos reais, fato ocorrido no dia 11 de outubro deste ano em uma grande das unidades de uma grande rede de supermercados de Araguaína.

 

O crime foi praticado por um homem de 25 anos de idade e a pena para o crime de furto varia de um a quatro anos de reclusão e multa.

 

O fato chegou ao conhecimento da Polícia Civil por meio do registro de um boletim de ocorrência comunicando o furto, tendo sido instaurado inquérito policial pelo Delegado Wilson Oliveira Cabral Júnior, titular da 26ª. DPC, com a finalidade de apurar os fatos.

 

Os agentes de polícia da 26ª Delegacia de Polícia Civil de Araguaína analisaram as imagens das câmeras de segurança e confeccionaram relatório descrevendo todo o modus operandi empregado pelo autor do furto.

 

Segundo consta no referido documento, o autor entra no supermercado e pega uma lata de leite, logo em seguida, se dirigia até o açougue onde escolhia carnes nobres (picanha e filé), as colocava em sacolas do supermercado que estavam guardadas em seu bolso e se dirigia ao caixa, local onde só exibia a lata de leite e efetuava seu pagamento. Quanto à carne, fingia que já haviam sido pagas, pois as levava em sacolas do próprio estabelecimento.

 

No dia 23 de outubro, o mesmo homem acabou sendo preso em flagrante por seguranças do supermercado ao ser flagrado subtraindo cinco quilos de carnes nobres (filé e picanha) de um estabelecimento da mesma rede de supermercados. E o Inquérito Policial relativo a esses fatos já foi remetido concluso ao Poder Judiciário pela 27ª. Delegacia de Polícia Civil de Araguaína.

 

Fora os crimes praticados em outubro do corrente ano, o autor do furto já responde a três processos criminais na Comarca de Araguaína por crimes contra o patrimônio (uma receptação e dois furtos qualificados). O crime de receptação é punido com pena de reclusão de um a quatro anos e multa, enquanto que o crime de furto qualificado tem pena de dois a oito anos de reclusão e multa.