Palmas, Tocantins -

Plantão de Polícia


Prisão
434 visualizações

Polícia prende homem suspeito de estuprar a própria filha de 11 anos em Nova Olinda

Crimes estariam ocorrendo desde quando a criança tinha apenas nove anos de idade.
- Atualizada em
Reprodução

Policiais Civis da 33ª Delegacia de Nova Olinda, comandados pelo delegado Felipe Crivelaro, efetuaram na manhã desta segunda-feira, 17, naquele município, a prisão de um homem de 41 anos de idade. Ele é suspeito de estuprar a própria filha, de 11 anos de idade e foi preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido pelo juízo da Comarca de Nova Olinda.

 

De acordo com o delegado Felipe, as investigações realizadas pela 33ª DP tiveram início quando a Polícia Civil recebeu uma denúncia do Conselho Tutelar informando que uma criança de 11 anos de idade vinha sofrendo constantes abusos sexuais por parte de seu próprio genitor, um tio e mais dois homens que frequentavam sua residência.

 

“No mês de julho, a criança tomou coragem e procurou o Conselho Tutelar de Nova Olinda para denunciar o crime. Desse modo, ela foi acolhida e devidamente orientada a registrar um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil informando sobre os fatos”, disse o Delegado.

 

Após o registro dos fatos, a Polícia Civil deu início às investigações no sentido de apurar os fatos. No entanto, ao tomar conhecimento da denúncia, o pai da vítima passou a proferir ameaças contra os conselheiros tutelares, dizendo que o episódio não iria ficar assim, dentre outras ameaças. Dessa maneira, o Delegado representou junto ao plantão do Poder Judiciário, pela prisão do indivíduo, que foi deferida e cumprida nesta segunda-feira, quando os policiais civis da 33ª DP efetuaram a prisão do homem em sua residência.

 

Ainda segundo a autoridade policial, a criança foi submetida a exames periciais que comprovaram os abusos sexuais. Após ser preso, o indivíduo foi recolhido à Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário. As investigações continuam no sentido de apurar as condutas do tio e de mais dois indivíduos apontados pela vítima como sendo pessoas que também teriam cometido os crimes de estupro de vulnerável.