Palmas, Tocantins -

Plantão de Polícia

Ver comentários
Golpe de R$ 50 mil
625 visualizações

Preso homem que se passava por bancário e oferecia falsas cartas de créditos

As vítimas pagavam um ágio para o acusado, com a finalidade de adquirir cartas de crédito contempladas, mas após isso, ele sumia com o dinheiro delas.
- Atualizada em
Foto Ilustrativa - Agência ABr

A Polícia Civil concluiu, nesta segunda-feira, 12, as investigações que apuravam suposto crime de estelionato praticado por um homem de iniciais W.M.F, em Araguaína. O golpe aplicado por ele teria resultado em um prejuízo de mais de R$ 50 mil reais a nove vítimas.

 

O golpe consistia no oferecimento de consórcios/cartas de crédito contempladas, as quais estavam em nome de terceiras pessoas, que ele sequer conhecia. As vítimas pagavam um ágio para o acusado, com a finalidade de adquirir cartas de crédito contempladas, mas após isso, ele sumia com o dinheiro delas.

 

De acordo com o delegado Wilson Oliveira Cabral Júnior, responsável pelo caso, as investigações foram iniciadas depois que algumas pessoas procuraram a Polícia Civil informando que teriam sido vítimas de um golpe, praticado pelo investigado. 

 

Conforme apontaram as investigações, o homem obteve um total de R$ 52.800,00 com os golpes. “Após a realização de todas as diligências elencadas, restou provado que o indiciado ludibriava as vítimas, se passando por representante autorizado de instituição bancária”, sintetizou.

 

Ainda segundo o delegado, no curso do processo, o investigado ameaçou uma das vítimas, que também é advogada. “O autor entrou em contato com uma das vítimas, por e-mail, fazendo ameaças, inclusive se utilizando de uma montagem com a foto do perfil de seu Whatsapp, afirmando que iria divulgar suas fotos no Facebook como estelionatária, caso continuasse com as acusações, pois ele teve conhecimento que a advogada e as outras vítimas tinham procurado a Polícia Civil”, frisou o delegado.

 

Diante das evidências, W. M. F. foi indiciado pelos crimes de estelionato e coação no curso do processo. Também foram indiciados outros dois homens, de iniciais A.V. e C. E. O. S. por estelionato, após evidências da participação de ambos nos crimes. Após a conclusão, o inquérito foi remetido ao Poder Judiciário para a realização das providências legais cabíveis.