Palmas, Tocantins -

Plantão de Polícia

Ver comentários
Estelionato em Palmas
3.089 visualizações

Suspeita é presa após manter namoro virtual com vítima da qual tirou quase R$ 33 mil

Durante o namoro, o homem depositou valores que chegaram a quase R$ 33 mil na conta de Luanny e de outras por ela indicadas
- Atualizada em
Suspeita foi presa em hotel em Palmas Divulgação/SSP

Policiais Civis da 1ª Delegacia de Palmas prenderam em flagrante ontem, 8, Luanny S. R., de 26 anos, suspeita pela prática do crime de estelionato e foi capturada em um hotel, localizado na região Central da Capital.

 

Conforme o delegado Jéter Aires, responsável pelo caso, as investigações apontaram que Luanny, usando o nome de Rafaela, começou um relacionamento virtual com um homem de São Luís (MA), com o intuito de aplicar um golpe na vítima. 

 

Durante o namoro, o homem depositou valores que chegaram a quase R$ 33 mil na conta de Luanny e de outras por ela indicadas. Ainda de acordo com o delegado, a mulher iludia a vítima dizendo que estava em Parauapebas (PA), quando na verdade estava em Palmas, onde foi presa.

 

Os policiais encontraram com Luanny R$ 2.700, em dinheiro além de diversos objetos, adquiridos com o lucro da prática do golpe.  Após ser detida, a mulher foi conduzida à sede da 1ª DPC, onde foi autuada em flagrante por estelionato e, em seguida, recolhida à carceragem da Unidade Prisional Feminina de Palmas. 

 

Outros mandados de prisão em Palmas

Policiais civis da Delegacia Interestadual de Polinter e Capturas cumpriram, na tarde de ontem, três mandados de prisão em desfavor de suspeitos pela prática de crimes diversos na Capital. Conforme a delegada Suraia Carvalho Vilela, após investigações e monitoramento foram presos Francisleide F. de C., de 20 anos, acusada pela prática do crime de tráfico de drogas.

 

Logo em seguida, os agentes localizaram e prenderam Deusdedith L. D. F., de 28 anos, que possui condenação pela prática do crime de roubo.  Ainda segundo a delegada, o homem havia sido beneficiado com prisão domiciliar com monitoramento por uso de tornozeleira eletrônica, porém, descumpriu as condições, sendo decretada a regressão provisória para o regime fechado.

 

O terceiro preso é Daniel P. dos S., de 33 anos, condenado por tráfico de drogas, que também descumpriu as condições de uso da tornozeleira eletrônica, sendo decretada pela justiça a regressão ao regime fechado.