Palmas, Tocantins -

Política


Política
1.672 visualizações

Aliança pelo Brasil já tem articulista no TO; partido deve receber integrantes do PSL

O tesoureiro do PSL Tocantins, Heleno Guimarães Carvalho, foi indicado para organizar as primeiras articulações no Estado na criação do Aliança pelo Brasil.
- Atualizada em
Descrição: Tesoureiro do PSL, Heleno Carvalho Divulgação

Em conversa com o T1 Notícias na manhã desta segunda-feira, 25, o tesoureiro do PSL Tocantins, Heleno Guimarães Carvalho, disse que ele foi indicado para organizar as primeiras articulações no Estado na criação do Aliança pelo Brasil, novo partido proposto pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). 

 

“Quando surgiu essa história da criação de um novo partido, as lideranças que participaram do processo eleitoral aqui no Estado, apoiando o presidente desde o início, me procuraram”, enfatizou. Conforme sua fala, alguns dos protagonistas do Partido Social Liberal (PSL) no Tocantins devem migrar para essa nova sigla, já que foram para o partido para impulsionar a campanha de Jair Bolsonaro nas eleições de 2018.

 

Devem continuar no PSL aqueles que desejam concorrer a cargo eletivo no pleito de 2020, já que o novo partido necessita se oficializar completamente até abril do próximo ano. Para tanto, são necessários o apoio de cerca de 491 mil pessoas, de pelo menos nove estados do país, e o processo de homologação do partido junto ao TSE. Esse processo, no entanto, costuma se arrastar. 

 

Ele recebeu essa tarefa de discutir o Aliança pelo Brasil no Tocantins do ex-candidato ao governo do Estado pelo partido social-liberal e ex-secretário da Secretaria de Segurança Pública (SSP),  César Simoni, que deixou o PSL ainda no início do ano. 

 

Mas conforme Heleno, não há, por enquanto, um processo definitivo da coleta assinaturas e convites para novas filiações no Tocantins. Essas questões devem ocorrer após manifestação do próprio Bolsonaro.  

 

“Muita conversa, mas ainda nada concreto. Bolsonaro e Flávio (senador da república e filho do presidente) que vão definir”, ressaltou. 

 

O tesoureiro do PSL também citou o presidente atual do partido no Tocantins, o ex-deputado federal Antônio Jorge, como um dos responsáveis pela sua indicação como articulistas do Aliança pelo Brasil, mas que ele deve permanecer na liderança do Partido Social Liberal. 


 

Bolsonaro em Palmas

 

O presidente Jair Bolsonaro estará em Palmas, nesta quinta-feira, 28, para assinatura do contrato entre o Governo do Estado com a Caixa Econômica Federal (CEF),  para empréstimos que somam R$ 583 milhões. Heleno disse que não ficou agendado um encontro sobre a "Aliança pelo Brasil" no Tocantins, mas que existe uma expectativa sobre o assunto. 

 

O tesoreiro do PSL se diz amigo de longa data do presidente. “Sou amigo dele por mais de 20 anos. Última vez que ele esteve aqui no Estado, fui eu que o cerimoniei. Quando o presidente ainda era do PSC. Sou do Rio de janeiro, assim como ele. Esse é um dos fatores para terem me escolhido para capitanear esse processo aqui no Tocantins”, disse. 

 

Por fim, Heleno ressaltou que a coleta de assinatura só será discutida após decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no pedido do novo partido de fazer o processo de forma eletrônica.  


 

Saída de Bolsonaro do PSL

 

O presidente Jair Bolsonaro assinou no último dia 19, o termo de desfiliação do PSL. O Aliança pelo Brasil, novo partido do presidente Jair Bolsonaro, realizou na quinta-feira, 21, a primeira convenção, em Brasília.

 

A legenda já teria elencado as “cláusulas pétreas” – que não podem ser alteradas – para, eventualmente, punir parlamentares que não sigam a orientação ou se posicionem publicamente ou em votações contra as teses da sigla. Entre os dispositivos intocáveis, estão: o direito à legítima defesa e à vida desde a concepção; a liberdade como vetor fundamental da sociedade e a luta contra a 'ideologia de gênero'.