Palmas, Tocantins -
PROMESSA
969 visualizações

Amastha garante que se eleito levará gabinete do governo para HGP

Carlos Amastha (PSB), anunciou que seus gabinetes nos primeiros 30 dias de mandato suplementar serão no HGP (Hospital Geral de Palmas) e nos hospitais regionais do Estado.
- Atualizada em
Amastha com moradora de Paraíso durante campanha Divulgação

Nesta segunda-feira, 14, o candidato ao governo nas eleições suplementares de 3 de junho, Carlos Amastha (PSB), anunciou que seus gabinetes nos primeiros 30 dias de mandato suplementar serão no HGP (Hospital Geral de Palmas) e nos hospitais regionais do Estado.

 

Amastha assegura que a presença da gestão nos hospitais é necessária para o entendimento e direcionamento do gestor. “Quero entender pra resolver. Quem quiser falar com o governador vai ter que me procurar dentro dos hospitais”, frisou o candidato.

 

O candidato do PSB disse que não compreende como o governo estadual, que aplica muito dinheiro na área, não consegue fornecer à população um mínimo de qualidade nos serviços da área. Amastha explicou que o principal problema é gestão e não dinheiro. Isso porque dos R$ 7,42 bilhões gastos pelo Poder Executivo em toda a administração em 2017, R$ 1,41 bilhão, mais de 19%, foi na saúde.

 

“A Constituição manda gastar 12% da Receita Corrente Líquida em Saúde. O Tocantins gasta mais de 19% da receita total, que é muito maior. Da Receita Corrente Líquida, dá quase 27%, e mesmo assim não consegue fazer o mínimo. Tem coisa muita errada e nós vamos resolver”, destacou o candidato.

 

O candidato ainda alfinetou gestões passadas ao destacar que o caos na saúde é fruto do favorecimento aos interesse de grupos específicos e de uma generosa dose de incompetência.“Eu vou pra dentro da saúde. Dentro dos hospitais e vou entender tudo. Tenho certeza que muito do que fizemos em Palmas pode ser aplicado no Estado. Vou trabalhar com as prefeituras. Vamos acelerar a construção do Hospital do Câncer, ampliando a ajuda do Estado e mobilizando a sociedade. Vou destravar todas as obras paradas”, garantiu.

 

Prioridades da gestão

 

Sobre as ações do seu governo, Carlos Amastha (PSB) expôs que se for eleito, não gastará com publicidade, com pagamento de emendas parlamentares para shows e nem com viagens a congressos até que a folha de pagamento dos servidores esteja organizada e paga no quinto dia útil de cada mês.

 

“Com os servidores, com crédito, vamos trabalhar a arrecadação com estímulos à economia. É aumentando a arrecadação que vamos buscar o equilíbrio fiscal. Por fim, só gastar aquilo que se arrecada. É um processo, mas exige medidas urgentes e nós temos coragem de adotá-las”, destacou o candidato, ao explicar que não há como pensar em fazer gastos com publicidade e outros não urgentes enquanto os salários de mais de 50 mil pessoas não estão sendo pagos em dia. “Os salários são sagrados e têm que ser pagos em dia. Essa medida será prioridade”, explicou o candidato.

 

Amastha ressaltou que, em Palmas, a prefeitura consegue pagar os salários com antecipação, a data-base está em dia e as progressões estão relativamente bem encaminhadas. “O servidor tem que saber o que está acontecendo em detalhes. Não dá para arrumar a casa do Estado de uma hora para outra, mas os problemas têm que ser enfrentados e as medidas precisam ser feitas”, frisou o candidato.