Palmas, Tocantins -
Eleições 2018
1.101 visualizações

Antônio Jorge diz que PSL é que comandará a campanha de Bolsonaro no TO no 2º turno

“Quem vai ser o comandante da campanha é o PSL. Eu sou o presidente. Agora, hoje quem está na coordenação da região Norte e veio nos fazer uma visita é o Magno Malta. Temos que agregar”, disse
- Atualizada em
Antônio Jorge foi candidato ao Senado nestas eleições Divulgação

Alguns nomes da política tocantinense surgiram como alternativa na coordenação da campanha do segundo turno de Jair Bolsonaro no Estado. Na noite desta quarta-feira,10, acontece na Câmara Municipal de Palmas, um evento para dar o ponta pé inicial na campanha do presidenciável.

 

O encontro contará com a participação do Partido Republicano (PR) e do deputado federal reeleito Vicentinho Alves, além do senador Magno Malta, responsável pela direção da campanha na região Norte do país.

 

Em entrevista ao T1 na manhã desta quarta, Antônio Jorge, presidente do PSL no Tocantins, afirmou que todo apoio é bem vindo, mas quem comandará a campanha de Bolsonaro no Estado é o próprio partido.

 

“Quem vai ser o comandante da campanha é o PSL. Eu sou o presidente. Agora, hoje quem está na coordenação da região Norte e veio nos fazer uma visita é o Magno Malta. Temos que agregar”, disse.

 

Jorge, que foi candidato ao Senado no último domingo, 7, reafirma que o partido está de portas abertas para “quem quiser somar conosco, somar com a grande vitória do país. O partido está de portas abertas”.

 

Sobre Vicentinho Júnior, Jorge afirma que ele será apenas um colaborador na campanha e não deve assumir a frente do movimento no Tocantins. “Temos que agradecer que ele é o primeiro com mandato a declarar apoio no Estado. Vem como colaborador para colaborar e participar de adesivaços em Porto Nacional, Palmas, Araguaína e Gurupi”, disse.

 

Antônio não deixa de mencionar, também, as pessoas que não anunciaram apoio no primeiro turno e querem “surfar” na reputação em alta do candidato neste momento. O presidente da sigla descartou a proposta do deputado federal Carlos Gaguim (DEM), de indicar a vereadora e deputada estadual eleita, Vanda Monteiro (PSL), como coordenadora da campanha de Bolsonaro no Estado. “Primeiro, ela não ajudou Bolsonaro (no primeiro turno). Ela foi beneficiada com a legenda. Pergunta se ela colocou um adesivo do Bolsonaro? Do nosso governador e do nosso senador? Ela estava apoiando o Irajá”, pontuou.