Palmas, Tocantins -

Política


Movimento "Vacina Já"
623 visualizações

Após movimento, MS se compromete a antecipar prioridade de vacinação para professores

O Ministério da Saúde se comprometeu em antecipar o grupo prioritário para vacinação contra a Covid-19 dos professores após o movimento "Vacina Já", coordenado pela Professora Dorinha
- Atualizada em
Descrição: Deputada federal Professora Dorinha Seabra (DEM-TO). Divulgação/Câmara dos Deputados

Após o movimento "Vacina Já", sob a coordenação da deputada federal Professora Dorinha (DEM/TO), em defesa pela priorização da vacina contra a Covid-19 aos educadores de todo o país, o Ministério da Saúde se comprometeu nessa sexta-feira, 19, em antecipar o grupo prioritário na vacinação dos professores. Anteriormente, os profissionais estavam no grupo 4 de prioridade. A informação é do O Globo, após reunião do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

 

"Garantir a alteração do Plano Nacional de Vacinação (PNI) para inclusão dos professores é prioridade na estratégia de imunização. A medida é essencial para que as aulas sejam retomadas no País, de maneira que alunos e professores não fiquem ainda mais prejudicados. Um grande avanço para nós da educação", comemorou Professora Dorinha.

 

Ministério da Educação

 

No último dia 4 de fevereiro, a parlamentar e também presidente da Frente Parlamentar Mista da Educação esteve com o ministro da Educação, Milton Ribeiro, para tratar sobre o tema. Na ocasião, Dorinha solicitou, mais uma vez, que os profissionais da Educação fossem realocados do grupo prioritário 4 para o grupo 1 e 2, conforme a disponibilidade da vacina.

 

Um documento foi enviado ao Ministério definindo as prioridades e ajustes em pautas da área a serem discutidas. Além do encontro, a parlamentar também esteve à frente do movimento "Vacina Já!" para que as vacinas, aprovadas anteriormente pela Anvisa, a CoronaVac e de Oxford/AstraZeneca, fossem disponibilizadas aos educadores.

 

Ao O Globo, o ministro afirmou que serão entregues 4,7 milhões de doses até o dia 28 de fevereiro, sendo que todas as doses deverão ser aplicadas, conforme alteração na orientação do governo de reservar vacinas para segunda dose. "Aos prefeitos que serão entregues, neste mês, 2,7 milhões de doses da CoronaVac e 2 milhões da vacina Oxford/AstraZeneca, produzida pela Fiocruz. Os dois imunizantes  precisam de duas doses", informou o portal de notícias.