Palmas, Tocantins -
#EleNão
2.512 visualizações

Ato contra Bolsonaro reúne 2 mil pessoas e percorre ruas da Capital neste sábado

Durante todo o ato foram entoados gritos de ordem e músicas com temática anti-fascista e contra o candidato Jair Bolsonaro
- Atualizada em
Ato finalizou por volta das 19 horas, quando pessoal começou a dispersar Júlia Fernandes

Cerca de duas mil pessoas participaram do ato intitulado #EleNão, contra a candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro, em Palmas, no final da tarde deste sábado, 29. A manifestação aconteceu em todo o território nacional, com concentração em todas as capitais brasileiras.

 

A convocação foi feita através de uma rede social, onde a “campanha anti-fascismo”, como ficou conhecida, ganhou forças e o coro de várias mulheres, principais peças no movimento a partir do “Mulheres Contra Bolsonaro”.

 

Em Palmas, a manifestação teve concentração inicial no Parque dos Povos Indígenas, na região central da Capital, e através de passeata percorreu a Avenida NS-02 e parou no estacionamento da Assembleia Legislativa.

 

Durante todo o ato foram entoados gritos de ordem e músicas com temática anti-fascista e contra o candidato Jair Bolsonaro. O microfone do trio elétrico que acompanhou a manifestação ficou aberto para quem quisesse subir e ter um espaço de fala.

 

A candidata a governadora do estado Bernadete Aparecida (PSOL) esteve no ato e falou enquanto representante do movimento feminista. “Comecei na adolescência, aos 14 anos, como muitas de vocês para celebrar esse momento que não é só #elenão. Ele não mesmo, mas elas sim!”, disse, ao destacar a satisfação de ser candidata “com a coragem de encarar essa conjuntura de fascismo, morte, conservadorismo e violência que o nosso País passa”.

 

A candidata a deputada estadual Eutália (PT) também esteve na manifestação e explicou ao T1 que o “#EleNão significa que não aceitamos o machismo, o fascismo, a misoginia nem toda carga de preconceito que compõe o programa de eleição de Jair Bolsonaro. Ele já mostrou ao mundo que é absolutamente despreparado para governar o nosso País”, enfatizou.

 

Os manifestantes começaram a se dispersar por volta das 18h30, após o grupo parar em frente à Assembleia Legislativa e abrir espaço de fala aos interessados.