Palmas, Tocantins -

Política


No Hospital de Amor
707 visualizações

Bancada pede revisão de decisão de comitê que impede instalação de equipamento

A Bancada Federal do Tocantins solicitou a revisão da decisão do comitê do SUS que impede a instalação de equipamento de radioterapia no Hospital de Amor em Palmas.
- Atualizada em
Ministério da Saúde

A Bancada Federal do Tocantins pediu, em reunião com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a revisão de decisão do Comitê Gestor do (PER/SUS) Plano de Expansão da Radioterapia no SUS que impede a instalação de equipamento de radioterapia repassado pelo Ministério no novo Hospital de Amor em fase final de construção em Palmas. O encontro teve a presença do coordenador da Bancada Federal, deputado Tiago Dimas (Solidariedade), da senadora Kátia Abreu (Progressistas), de assessores de congressistas do Estado e do presidente do Hospital do Amor, Henrique Duarte Prata.

 

A reunião foi solicitada com urgência pelos congressistas do Estado após eles tomarem conhecimento que o Hospital do Amor de Palmas não receberia o equipamento de radioterapia, algo que estava acordado desde 2017, inclusive com a solicitação foram do governo do Estado.

 

“Há vários anos, a comunidade da Capital e do Tocantins vem se mobilizando em prol do Hospital do Amor. Milhões de reais foram repassados por parlamentares via emendas e muito dinheiro também foi doado pela iniciativa privada e por pessoas em geral, através dos leilões beneficentes. A expectativa é grande e a não instalação gerará uma insatisfação geral”, destacou Tiago Dimas.

 

Pela decisão do Comitê Gestor do PER/SUS, o equipamento será repassado ao HGP (Hospital Geral de Palmas), que não é um estabelecimento específico para tratar de câncer.

 

Além disso, a instalação do equipamento no Hospital do Amor é fundamental que a unidade seja classificada como um Cacon (Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia), proporcionando a possibilidade de todo o tratamento ser feito no mesmo lugar, dando muito mais conforto para os pacientes e mais chance de recuperação.

 

Atualmente, conforme Henrique Prata, 800 pessoas do Tocantins fazem tratamento no Hospital de Amor de Barretos, no interior de São Paulo. “Temos uma demanda altíssima”, ressaltou o médico-presidente da instituição filantrópica.

 

A senadora Kátia Abreu também falou no mesmo sentido, lembrando que o Hospital do Amor pela sua expertise tem condições muito melhores de oferecer um bom serviço público. O ministro Queiroga se convenceu dos argumentos e se comprometeu em verificar com a área técnica uma forma de reverter a decisão. Ele prometeu um retorno até o início de novembro.

 

Agradecimentos pelo aumento de vacinas

 

Na reunião, Tiago Dimas também agradeceu ao ministro pelo fato do Ministério da Saúde ter revisado os percentuais das doses de vacinas contra o novo coronavírus repassadas ao Tocantins.

 

Durante reunião com o ministro no dia 6 de julho, o coordenador da Bancada Federal apresentou levantamento mostrando que o Tocantins estava recebendo bem menos vacinas que o percentual correspondente a sua população. Desde então, a situação mudou e quase sempre o Estado recebe a mais em cada remessa do Ministério da Saúde.