Palmas, Tocantins -
Eleição 2018
721 visualizações

Candidatos às eleições de outubro devem ser anunciados até 5 de agosto em convenções

No Tocantins, os partidos ainda não definiram a data que devem ocorrer os eventos, mas nomes que disputarão o governo do Estado e o Senado já estão sendo anunciados
- Atualizada em
Convenções podem ser realizadas até cinco de agosto Divulgação

Conforme estabelece a Lei n° 13.165/2015, as convenções partidárias para as Eleições 2018 precisam ocorrer no período de 20 de julho a 5 de agosto. No Tocantins, os partidos ainda não definiram as datas que devem ocorrer os eventos, mas nomes que disputarão o governo do Estado e o Senado já estão sendo anunciados.

 

A eleição suplementar no Estado, que aconteceu no mês de junho, foi uma prévia do que deve acontecer em outubro na disputa para o governo do Estado. O governador Mauro Carlesse (PHS) deve buscar a reeleição com apoio de grande parte da Assembleia Legislativa e da bancada federal no Congresso Nacional, embora ainda não tenha confirmado se será um pré-candidato.

 

O ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB) e o ex-juiz Márlon Reis (Rede) podem novamente buscar a disputa do segundo pleito neste ano, contudo, ainda não confirmaram oficialmente se formarão um bloco de oposição a Carlesse ou se disputarão entre si. Reuniões e encontros tem sido realizados entre os partidos nas últimas semanas para buscar definições ao pleito.

 

O senador Vicentinho Alves (PR) já sinalizou que irá concorrer à reeleição no Senado Federal, mesmo tendo uma votação expressiva que o levou ao segundo turno na eleição suplementar para governador. Ao seu lado, há a possibilidade da candidatura do ex-deputado federal Eduardo Gomes, que já havia comunicado sua pretensão ao Senado e participou efetivamente da campanha de Vicentinho na suplementar.

 

Ainda para o Senado, o deputado federal César Halum (PRB) e o ex-governador Siqueira Campos (DEM) podem sair candidatos pela chapa de Carlesse. Outro possível nome para o Senado surgiu nesta semana, o do deputado federal Irajá Abreu (PSD). 

 

Durante as convenções será sorteado, em cada circunscrição, o número com o qual cada candidato irá concorrer (identificação numérica). Aos partidos políticos fica garantido o direito de manter os números concedidos à sua legenda na eleição anterior e aos candidatos, o direito de manter os números que lhes foram atribuídos na eleição anterior para o mesmo cargo.

 

Presidência da República

 

A quatro meses das eleições, a lista de pré-candidatos à Presidência está diminuindo. Nos últimos meses, já desistiram de se candidatar o apresentador Luciano Huck, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa e o presidente Michel Temer.

 

Todos os demais que já anunciaram a intenção de disputar o pleito têm importantes obstáculos a superar até o início da campanha. Entre eles, pendências na Justiça, disputas partidárias internas, tempo escasso de propaganda no rádio e na televisão, alta rejeição ou falta de popularidade e impedimento para participar de debates.

 

Seguem se anunciando como pré-candidatos o ex-presidente Lula, Jair Bolsonaro, Geraldo Alckmin, Marina Silva, Ciro Gomes, Aldo Rebelo, Manuela D'Ávila, Álvaro Dias, Rodrigo Maia, João Amoêdo, Guilherme Boulos, Flávio Rocha, Paulo Rabello de Castro, Henrique Meirelles, Fernando Collor e Vera Lúcia.

Notícias sobre:

eleição senado governo tocantins