Palmas, Tocantins -
Fuga no Barra da Grota
1.956 visualizações

Carlesse antecipa volta de SP ao Estado e repudia fake news sobre morte de professora

Durante o início da rebelião ontem, que segue com a fuga de 19 detentos hoje, Carlesse afirmou que estava em São Paulo, acompanhando sua mãe que está internada em um hospital na capital paulistana
- Atualizada em
Calesse chegou ao TO na madrugada e já está no Palácio Secom Tocantins

O governador e candidato a reeleição Mauro Carlesse (PHS) repudiou, por meio de nota enviada à imprensa na manhã desta quarta-feira, 3, o que ele considerou como “exploração” por parte “de dois candidatos ao Governo do Tocantins, sobre a falsa da informação da morte da professora Elisângela Mendes, que segue em poder dos fugitivos”. O candidato se refere à rebelião e fuga de detentos do presídio Barra da Grota, em Araguaína, iniciada ontem, 2 , quando Carlesse estava em São Paulo, acompanhando sua mãe que está internada na UTI de um hospital da capital paulista.

 

Carlesse destaca que logo que o movimento dos presos começou, ele determinou que os secretários de Segurança Pública e de Cidadania e Justiça também acompanhassem in loco a operação de resgate dos reféns e a recaptura dos fugitivos. O vice-governador Wanderlei Barbosa também esteve em Araguaína na noite de ontem e manteve contato direto com Carlesse, informando a situação.

 

O governador expôs, ainda, que antecipou seu retorno a Palmas para a madrugada desta quarta-feira, 3, e já realizou uma reunião com o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Jaizon Veras, e o com os secretários da Casa Militar, coronel Silva Neto; e da Casa Civil, Rolf Vidal, no Hangar do Estado, no aeroporto de Palmas. Em seguida, os secretários e o comandante-geral seguiram para Araguaína onde acompanham a operação de buscas pela professora Elisângela Mendes e pelo servidor do presídio, Roberto Aires.

 

Carlesse afirma que as vidas de ambos são prioridades na operação. “Por confiar na competência e no profissionalismo dos policiais civis e militares do Tocantins, a ordem do Governador Mauro Carlesse sempre foi, a de primeiro resgatar os reféns, e de negociar um fim pacífico para a rebelião. Para isso, todas as forças policiais (civil e militar) da região estão mobilizadas e posicionadas estrategicamente visando o desfecho positivo da situação”, informa a nota.

 

O governador já está no Palácio Araguaia, onde deve acompanhar os próximos acontecimentos sobre a fuga e demais assuntos relativos à gestão estadual.