Palmas, Tocantins -
Eleições diretas no TO
1.051 visualizações

Coligação e candidaturas de Carlesse e Wanderlei são deferidas pelo Pleno do TRE

Os registros de candidatura do candidato a governador pela chapa, Mauro Carlesse (PHS), e do vice Wanderlei Barbosa (SD), receberam deferimento dos juízes eleitorais
- Atualizada em
Carlesse tem candidatura deferida pelo TRE Esequias Araújo

A Coligação “Governo de Atitude” teve o Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP) deferido pelo Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-TO) em sessão na manhã desta quarta-feira, 16. Os registros de candidatura do candidato a governador pela chapa, Mauro Carlesse (PHS), e do vice Wanderlei Barbosa (SD), também receberam deferimento. A corte seguiu o voto do relator, o juiz Adelmar Aires Pimenta da Silva.

 

Carlesse afirmou que recebeu a notícia da aprovação de sua candidatura com tranquilidade, pois "estava ciente de que todos os atos praticados obedeceram as regras eleitorais. Agora vamos intensificar nossa campanha. Levar nossa mensagem de organização do Estado, para que o Tocantins volte a crescer e oferecer oportunidade para nossa gente”, comemorou o candidato.

 

As coligações "A vez dos tocantinenses", do candidato Vicentinho Alves (PR), e "Reconstruindo o Tocantins", de Kátia Abreu (PDT), entraram com pedidos de impugnação da chapa de Carlesse por considerar que os documentos para o registro da candidatura foram entregues após o fechamento do portão do TRE-TO. As coligação alegaram suposta falsificação de assinatura em documentos protocolados no órgão.

 

Para o relator, os responsáveis pela protocolização dos documentos da Coligação “Governo de Atitude” estavam no horário determinado no Tribunal e que a suposta falsificação de assinatura não interferia no registro. Portanto, comentou que uma investigação policial pode ser realizada para averiguar a denúncia.

 

As coligações de Vicentinho e Kátia, além da do ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha, “A verdadeira Mudança”, entraram com impugnação contra o registro de candidatura do vice de Carlesse, Wanderlei Barbosa, alegando que ele não teria cumprido o prazo de filiação partidária de seis meses, mas os pedidos também foram negados.