Palmas, Tocantins -

Política


Bastidores da Assembleia Legislativa
4.663 visualizações

Demissões: Damaso quer reduzir verba de gabinete de R$ 70 mil para R$ 21,9 mil

Os deputados estaduais poderão passar a receber R$ 21,9 mil em verbas de gabinete, caso medida apresentada por Damaso para adequação à LRF seja aprovada na Casa de Leis Estadual
- Atualizada em
Descrição: Deputados debateram sobre medidas antes da sessão Foto: T1 Notícias

O presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins, deputado Osires Damaso (DEM) convocou os demais parlamentares para uma reunião na tarde de quarta-feira, 17, que teve como principal ponto de discussão as reduções nas despesas da Casa de Leis Estadual para que esta se enquadre à Lei de Responsabilidade Fiscal. Dentre os cortes, o ponto que mais causou polêmica entre os deputados é o indicativo de redução na verba de gabinete, que atualmente é de R$ 70 mil e poderá ser reduzida para R$ 21,9 mil por mês.

 

A medida apresentada por Damaso deverá valer por pelo menos dois meses, caso seja aprovada pela Casa. Com isso, os parlamentes que atualmente tem a possibilidade de contratar até 65 servidores, terão que manter apenas os serviços essenciais e com forte redução nos salários.

 

Ouvido pelo Portal T1 Notícias na manhã desta quinta-feira, 18, o deputado Ricardo Ayres (PSB) disse que os deputados se reuniram para discutir qual a forma mais viável de se adequar à LRF, mas ainda não houve uma definição do que será de fato acertado. “O presidente apresentou para a gente o cenário, que desde o início do ano nós já havíamos ventilado, tanto é que no final do ano houve várias exonerações, daí nós criamos uma comissão de reestruturação, para discutir isso com mais profundidade, de maneira que nós precisamos nos organizar de acordo com a realidade atual”, disse Ricardo Ayres.

 

O deputado ainda comentou sobre a situação dos outros poderes, que segundo ele, também devem mexer em suas despesas e criticou a postura do governo do Estado quanto à falta de pagamento do Plansaúde e do atraso nos repasses aos municípios para o transporte escolar.

 

Uma fonte ouvida pelo T1 na Assembleia, na manhã desta quinta, disse que o clima na Casa de Leis é de instabilidade, uma vez que parte dos servidores passaram a virada de ano exoneradas, retomaram aos trabalhos em fevereiro e já tem a possibilidade de voltar a perder seus empregos. “Ontem tivemos uma reunião com ânimos bastante alterados, dentre os deputados a Luana Ribeiro (PR) parecia ser a mais contrária à medida. Já hoje pela manhã os deputados abriram os trabalhos se reunindo distantes de seus assessores para tratar do que poderá ser feito para não permitir que as reduções sejam feitas desse jeito que estão sendo propostas”, disse a fonte.

 

Este Portal tentou contato com os deputados Osires Damaso e Luana Ribeiro, mas as ligações não foram atendidas. O espaço continua aberto.