Palmas, Tocantins -

Política


Divulgação Institucional
271 visualizações

Dorinha volta a defender vacinação prioritária também para profissionais da educação

A deputada federal Professora Dorinha voltou a defender a vacinação prioritária aos profissionais da educação nesta sexta-feira, 8
- Atualizada em
Descrição: Deputada federal Professora Dorinha (DEM/TO). Câmara dos Deputados

Como presidente da Frente Parlamentar Mista da Educação no Congresso Nacional e do Educatores, entidade que reúne ex-secretários de Educação dos Estados, a deputada federal Professora Dorinha (DEM/TO) voltou a defender, nesta sexta-feira, 8, a vacinação prioritária também aos profissionais da Educação, além dos da saúde, idosos e grupos de risco. 

 

“Muitos movimentos estão sendo formados. Por isso, volto a defender que profissionais da educação sejam inclusos também nos grupos prioritários, nas fases iniciais de vacinação, levando em conta a importância da classe para o retorno do desenvolvimento socioeconômico, científico e cultural do Brasil”, destacou. 

 

Para a parlamentar, o momento é de buscar unir forças a favor da Educação do País e dos 52 milhões de estudantes e professores. Dorinha, inclusive, se mostrou favorável ao documento protocolado pela governadora do Rio Grande do Norte, Professora Fátima Bezerra (PT), ao presidente, Jair Bolsonaro (sem partido) em que solicita a inclusão dos profissionais. 

 

“Temos urgência em vacinar os grupos prioritários e, os nossos professores, não podem ficar de fora. Eles também são prioridade para que as atividades escolares possam ser retomadas o quanto antes", explicou a parlamentar. 

 

MP 1003/20

 

No dia 18 de dezembro de 2020, em votação simbólica, a deputada Professora Dorinha foi a favor da Medida Provisória 1003/2020 que dá preferência para aquisição de vacinas nacionais contra a doença e à vacinação prioritária dos profissionais da Educação do País. O texto autoriza o Poder Executivo federal a aderir ao Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19 - Covax Facility.  A MP aguarda apreciação do Senado Federal.