Palmas, Tocantins -

Política


Encontro político
744 visualizações

Em encontro do Avante para filiação de Laurez, lideranças defendem projeto unificado

O evento foi marcado com a oposição ao Palácio Araguaia defendendo a necessidade de uma convergência partidária para disputar as eleições em 2022
- Atualizada em
Divulgação

O encontro do Avante para filiação do ex-prefeito de Gurupi e pré-candidato ao governo do Estado, Laurez Moreira, nesta segunda-feira, 23, em Palmas, reuniu lideranças de vários partidos, entre deputados federais e estaduais, ex-prefeitos, vereadores e o presidente nacional da legenda, deputado federal Luis Tibé.

 

O evento foi uma oportunidade que a oposição ao Palácio Araguaia achou para defender a necessidade de uma convergência partidária para disputar as eleições em 2022, em que pese as várias pré-candidaturas já postas para a sucessão do governador Mauro Carlesse (PSL).

 

Juntos na mesma mesa estavam representantes do MDB (Herbert Buti), DEM (deputada Professora Dorinha Seabra), Solidariedade (Tiago Dimas, PTB (Alexa Kawano), PT (Paulo Mourão), PL (Vicentinho Júnior), e presidente do Sistema de Cooperativas Financeiras do Brasil (Sicoob), Gilberto Morais.

 

Após ter a ficha de filiação ao Avante, abonada pelo presidente nacional da legenda, Laurez, que assume a direção estadual do Avante, disse em seu discurso que Estado do Tocantins não tem sequer um projeto bem elaborado em nenhuma das áreas para o desenvolvimento de sua economia. “Precisamos mudar o modelo de administrar o Estado. Falta planejamento”, criticou o pré-candidato ao defender a coalizão das forças políticas contrárias à gestão do Palácio Araguaia.

 

Na avaliação do presidente estadual do Avante, a gestão estadual não dispõe de ações que demonstrem a presença do governo estadual nos municípios. “As coisas andam ruins, mais de 50 cidades no Estado onde não existe um PM morando no município onde trabalham”, afirmou.

 

Laurez destacou que, dos oito deputados federais tocantinenses, sete já “perceberam a necessidade mudança no Estado” o que, para ele, é uma demonstração de que a oposição deve se unir com base em um projeto político-administrativo e econômico-social consistente, “sem vaidades pessoais”, referindo-se á disputa pelo cargo de governador.

 

Ressaltou que não acredita mais nas velhas práticas políticas do “empreguismo” e que é partidário do entendimento, sem a pecha de direita ou esquerda. “Aprendi a respeitar as pessoas, temos que procurar sermos felizes e saber defender o que gostamos de fazer”, arrematou.

 

Ainda sobre o desenvolvimento do Estado, Laurez lembrou que a matriz da economia tocantinense é a agropecuária, mas disse que existem outras áreas que precisam ser desenvolvidas, citando a energia solar, cujo potencial do Estado, segundo ele, abre condições “para que passemos ser grandes exportadores”. E acrescentou: “produzimos grande quantidade de energia hidráulica e, no entanto, temos a conta mais cara do Brasil”.

 

Outras lideranças

 

Paulo Mourão, pré-candidato pelo PT, disse que nesse momento é natural que a oposição tenha vários pré-candidatos, mas que lá na frente, entre os meses de abril e maio, seja possível uma convergência das forças de oposição. “O país está judiado e o Estado abandonado, o desemprego atinge cerca de 30 milhões de jovens no Brasil e 58% da população tocantinense ganhando menos que o salário mínimo”, citou, para defender mudanças radicais para o desenvolvimento da ação e do Estado.

 

O deputado federal Tiago Dimas (SD), coordenador da bancada tocantinense, não poupou elogios às gestões de Laurez Moreira, em que pese o seu pai, Ronaldo Dimas, presidente regional do Podemos, a quem ele representou no evento, ser um dos pré-candidatos ao governo.

 

“Temos dialogado bastante sobre a necessidade de mudança no Estado. Temos lideranças exponenciais que querem isso, um Estado melhor, com qualidade de vida”, posicionou o parlamentar ao defender a unidade da oposição, para “mudar o cenário político atual”. Nessa linha de raciocínio, Tiago Dimas considerou que Laurez tem capacidade para convergir a oposição.

 

Ponderada, a deputada Professora Dorinha foi muito aplaudida quando disse que o grande número de participantes ao evento foi uma demonstração da capacidade de liderança do presicente regional do Avante.

 

O deputado Vicentinho Jr (PL) também defendeu a necessidade uma política de convergência. “Vejo pluralidade partidária se organizando para tentar comandar o Palácio Araguaia, a partir de janeiro de 2023. Não existe briga entre Laurez e o senador Eduardo Gomes (MDB), estão querendo implantar desavenças”, sustentou ele, acrescentando que o Avante tem quadros “maravilhosos”.

 

Luiz Tibé foi sucinto em seu pronunciamento. Recorreu à metáfora do motorista ao declarar que o eleitor abomina políticos com práticas atrasadas para conquistar votos. “Se a condução da gestão não está no caminho certo, é preciso trocar o motorista que comada a locomotiva administrativa”, disse, numa referência implícita à capacidade de Laurez ser o comandante dessa locomotiva.

 

Outras presenças

 

Presentes ainda ao evento o ex-prefeito de Porto NacionalJoaquim Maia; o ex-deputado Leomar Quintanilha; o emedebista Herbert Buti, que no ato representou o partido e o ex-governador Marcelo Miranda; o ex-deputado Antônio Jorge; os deputados estaduais Júnior Geo (Pros) e Elenil da Penha (MDB), entre outras lideranças municipais.