Palmas, Tocantins -

Política


Boletim de Ocorrência
3.178 visualizações

Folha registra B.O sobre panfleto apócrifo, nega trair grupo e quer investigação

Vereador José do Lago Folha Filho registra Boletim Ocorrência e quer apuração sobre panfleto apócrifo
- Atualizada em
Descrição: Vereador José do Lago Folha Filho (Patriotas). Divulgação

O vereador José do Lago Folha Filho (Patriotas), aliado da prefeita Cinthia Ribeiro, registrou Boletim de Ocorrência na manhã desta terça-feira, 5, na Delegacia de Crimes Cibernéticos em Palmas, buscando responsabilizar criadores e replicadores de um panfleto apócrifo que circula desde ontem, segunda-feira, 4, acusando diversos vereadores de venda do voto em favor da candidata eleita à presidência da Câmara de Palmas, Janad Valcari.

 

“Eu nem dormi essa noite, indignado com esse tipo de ação política baixa, e criminosa de quem quer criar a desunião na base da prefeita, atentando contra a minha honra”, desabafou o vereador.

 

Argumentando que não precisa provar lealdade pois seu histórico fala por si, relembrou: “nunca tive qualquer questionamento quanto a isso, pelo contrário, eu tenho pagado caro pelas minhas escolhas, mas sempre vou até o fim com meu grupo, seja onde eu estiver”.

 

Reafirmando o voto em Rogério de Freitas (MDB) na eleição de sexta-feira passada, dia 1º, José do Lago Folha Filho relembra que seu nome chegou a ser cogitado nas prévias internas do grupo, mas que, percebendo que não teria a unidade, abriu mão e votou no candidato da maioria dos colegas.

 

“A base da prefeita agora precisa é de união, temos uma cidade para ajudar a governar, dentro do grupo que nos elegemos. O que tenho pedido aos companheiros é isso: fechar o ouvido para fofocas e procurar nos organizar”, disse ele ao portal T1 Notícias.

 

Panfleto apócrifo faz acusações graves

 

O panfleto lista os vereadores que votaram em Janad Valcari, atribuindo a cada vereador uma vantagem e um valor em dinheiro. Quando se refere a Folha o acusa de ser “o dengo” da prefeita, e ter traído seu candidato votando em Valcari.

 

As acusações são graves e citam nominalmente ainda o esposo da vereadora. Folha acredita que a Polícia Civil conseguirá identificar os autores, buscando os que replicaram o panfleto nos grupos de WhatsApp. “Quem compartilha material criminoso também comete crime. Não está difícil descobrir. Eu, da minha parte, quero investigação. Esse tipo de crime na internet não pode ficar sem punição”, cobrou.

 

Confira o Boletim de Ocorrência.