Palmas, Tocantins -

Política


Política
234 visualizações

Justiça concede liminar e Júlio Oliveira é mantido na Prefeitura de Augustinópolis

O juiz Jefferson David Asevedo Ramos concedeu liminar determinando a suspensão dos efeitos do Decreto Legislativo que afastou o prefeito Júlio Oliveira , que retoma o mandato com a decisão.
- Atualizada em

O juiz da 1ª Vara Cível de Augustinópolis, Jefferson David Asevedo Ramos, concedeu na tarde desta quarta-feira,19, liminar determinando a suspensão dos efeitos do Decreto Legislativo nº 001, de 10 de fevereiro de 2020,  que afastou definitivamente do cargo o prefeito Júlio Oliveira (PRB) do cargo, sob a alegação de que o chefe do Executivo cometera atos de improbidade administrativa.

 

Na sua decisão, o juiz determinou o mediato retorno de Júlio Oliveira às suas funções. Suspendeu, ainda, de forma imediata, qualquer tentativa de os vereadores suplentes que assumiram o mandato realizarem sessões relativas ao processo de cassação de mandato do prefeito, referentes as denúncias levadas a efeito no processo administrativo nº 004/2019. Nesse caso, Júlio Oliveira  continua como prefeito de Augustinópolis.

 

Em caso de descumprimento, foi fixado o valor de R$ 500,00 diários, até o limite de 60 dias para Cícero Cruz Moutinho, presidente da Câmara Municipal de Augustinópolis, considerado réu no Mandado de Segurança Cível nº 0002528-03.2020.8.27.2710, impetrado pelo prefeito, por intermédio de seu advogado, Fábio Alcântara. Considerados réus também os vereadores Marconcélio Assunção da Silva, Josenildo Ferreira Barbosa e Reinaldo Ferreira Gomes, por terem participação direta no processo de cassação do prefeito.

 

O juiz notificou os vereadores arrolados no processo para cumprimento da presente decisão, bem como apresentar informações no prazo de 10 dias.