Palmas, Tocantins -
Retidos pela Ápia

Kátia comemora vitória conjunta com Carlesse na liberação dos R$32 milhões do HGP

Na carta, a senadora fala ainda sobre a relação com o governador Mauro Carlesse, e diz que apesar de terem estado em lados opostos nas últimas eleições, a aliança pelo Tocantins vem em primeiro lugar.
- Atualizada em
Reprodução

Em carta aberta encaminhada para a imprensa na tarde desta sexta-feira, 17, a senadora Kátia Abreu (PDT) diz que lutou junto com o governo para que o judiciário em Brasília liberasse os R$32 milhões retidos em consequência da operação Ápia, para a conclusão do Hospital Geral de Palmas (HGP).

 

Na carta, a senadora relata que se encontrou com o secretário de saúde, Renato Jayme, e se colocou a disposição para ajudar a resolver os problemas da saúde no Tocantins. Durante o encontro o secretário teria pedido a Kátia que ajudasse na liberação do montante retido junto ao Banco do Brasil.

 

Segundo a senadora a missão parecia, em um primeiro momento, impossível. “mas me lembrei de um princípio que sempre guiou minha vida: só não tem jeito pra morte”. Diz em um trecho da carta.

 

Em posse do processo, a senadora montou uma força tarefa junto com o Procurador do Estado, Nivair Borges e o Secretário de Infraestrutura, Renato Assunção. Após três meses de trabalho, o grupo conseguiu na justiça a liberação do dinheiro.

 

Na carta, a senadora fala ainda sobre a relação com o governador Mauro Carlesse, e diz que apesar de terem estado em lados opostos nas últimas eleições, a aliança pelo Tocantins vem em primeiro lugar.

 

Confira a carta na íntegra

 

Carta aberta da senadora Kátia Abreu: a História dos R$32 milhões do HGP

 

Amigos irmãos tocantinenses,

 

No final de janeiro deste ano, fiz uma visita institucional à Secretaria de Saúde do Estado me colocando à disposição para apoiar a saúde, que tem sido há anos um problema grave pra todos nós. O Secretário de Saúde, Dr. Renato, e eu conversamos por cerca de duas horas. E ele me deu uma tarefa especial: que eu trabalhasse junto ao judiciário em Brasília para liberar R$ 32 milhões retidos no Banco do Brasil por 3 anos, em consequência da operação APIA da Polícia Federal,  para a conclusão do Hospital Geral de Palmas. 


No primeiro momento pensei ser uma missão impossível, mas me lembrei de um  princípio que sempre guiou minha vida: “só não tem jeito pra morte”.
No dia 11 de fevereiro, me foi enviado todo o processo e me debrucei a estudar o caso nos detalhes para encontrar as possíveis soluções.
Montamos uma força tarefa, composta por Dr. Nivair, procurador do Estado, Dr. Renato, secretário de Infraestrutura e eu. Nós nos municiamos de documentos técnicos e petições judiciais para executar a tarefa junto ao Superintendente do BB no Tocantins, Dr. Rui, da Justiça Federal em Brasília e no Tocantins. 


Queríamos a liberação dos R$ 32 milhões para terminar a construção do HGP, obra que não tinha nenhum envolvimento na operação da PF. E ontem, dia 16 de maio de 2019,  após 3 meses de trabalho, recebemos a boa notícia. O Juiz Federal Dr Adelmar Aires Pimenta, da Segunda Vara Federal em Palmas, proferiu decisão favorável à liberação dos recursos para o Governo do Estado concluir a obra do HGP. 


Estou agradecida a Deus e a todos que foram sensíveis à nobre causa. Este atraso custou a vida e sofrimento de muitas famílias do nosso Estado. 
Mas vamos em frente na luta pela conclusão do Hospital de Gurupi e a construção do Hospital de Araguaína. 


Eu e o Governador Carlesse estivemos em lados opostos nas últimas eleições, mas sou, em primeiro lugar, aliada do Tocantins e de toda nossa gente. O Governo do Estado e o povo tocantinense pode contar comigo sempre em quaisquer circunstâncias. 


Agradeço a confiança do Governador no cumprimento da missão. 

 

Kátia Abreu, Senadora do Tocantins

Notícias sobre:

kátiaabreu hgp ápia