Palmas, Tocantins -

Política


Polêmica Plano Diretor de Palmas
2.736 visualizações

Marilon defende o pai sobre loteamento e garante que Fenelon age de boa fé

Diante da acusação de que deputados têm interesse econômico em decidir sobre alterações no Plano Diretor, Marilon Barbosa defende o pai, citado por Major Negreiros como dono de loteamento irregular...
- Atualizada em
Descrição: Vereador Marilon Barbosa Bonifácio/T1Notícias

O vereador Marilon Barbosa defendeu o pai, ex-prefeito de Palmas, Fenelon Barbosa, da acusação feita por seus pares, durante coletiva na manhã desta quarta-feira, 4, de ter aberto loteamento irregular na área em frente ao Comercial Machado, na saída para Aparecida do Rio Negro.

 

Fenelon foi citado pelo vereador Major Negreiros, no momento em que este acusou o deputado Wanderlei Barbosa (SD) de legislar em causa própria ao propor alteração na Lei Complementar 90/2013, passando a obrigar as alterações no Plano Diretor de Palmas (única cidade que tem PD entre as da região) a serem ratificadas por votação na Assembleia Legislativa. “Quem é que não sabe quem são os proprietários das maiores áreas na capital?”, questionou Negreiros, citando loteamento que seria de propriedade do pai do deputado, que também é pai do vereador.

 

Contrário ao projeto do irmão e solidário aos seus pares na luta para derrubar a alteração na lei aprovada por Wanderlei na Assembleia, Marilon defendeu o pai, ex-prefeito Fenelon Barbosa. “Meu pai, talvez por inexperiência, começou a vender partes da fazenda lá naquela região, em chácaras. Não foi loteamento que ele fez. Mas fez isso ludibriado por um advogado, que esse sim, agiu de má fé, o senhor Júnior Bandeira, que a gente tem tentado encontrar, falar com ele e ele se esquiva”, afirmou o vereador.

 

“Meu pai agiu de boa fé. As primeiras chácaras que ele vendeu eram menos que um hectare, mas ele está regularizando. O modelo tinha saído fora do módulo do Incra, mas está sendo corrigido. Não é loteamento urbano, são chácaras”, esclareceu Marilon.

 

A respeito de outro loteamento, este no alto da serra de Taquaruçu, cuja propriedade é atribuída a Marilon Barbosa, ele nega. “Lá eu tinha uma área, que vendi chácaras há 10 anos. Pessoas que compraram estão loteando e vendendo, mas não é meu”, finalizou.