Palmas, Tocantins -
Eleições 2018
1.444 visualizações

Márlon nega desistir de aliança com PT após ser alvo de críticas nas redes sociais

Candidato ao governo tem sido alvo de ataques nas redes sociais após sinalizar que grupo terá como aliado o PT
- Atualizada em
Márlon justifica a necessidade de alianças no atual cenário político Divulgação

Após o anúncio de uma aliança entre Márlon Reis (Rede) e o Partido dos Trabalhadores (PT), com a indicação de Paulo Mourão como candidato a senador pela chapa, o candidato a governador, lançado ontem, 3, em convenção da Rede, em Palmas, negou qualquer intenção de voltar atrás nas negociações com o PT. Conforme informou através de sua assessoria, o acordo ainda não foi fechado porque a Rede Sustentabilidade aguarda a convenção do PT, mas as negociações estão avançadas.

 

O T1 apurou que, após o anúncio de uma aliança, o candidato foi bombardeado em comentários nas redes sociais. Parte dos militantes da Rede e de eleitores que votaram no candidato à eleição suplementar em junho não concorda com as alianças que estão sendo firmadas por Márlon Reis. Além do PT, o grupo pode ter como aliado o PSD, de Irajá Abreu, e o PV, de Marcelo e Claudia Lelis. A ex-prefeita Nilmar Ruiz, que era a pré-candidata ao Senado pela Rede, deixou o projeto de Márlon por não concordar com os rumos que o partido tomou.

 

Márlon declarou ontem que, ao ter preservado a cabeça de chapa, bem como o programa de governo do partido Rede, não acredita que venha a perder eleitores por causa das composições. Ele esclareceu que decidiu fazer alianças para que o partido não desapareça no cenário destas eleições.

 

“A legislação eleitoral torna inofensiva uma candidatura sem alianças. Essa eleição é totalmente diferente da eleição de junho. Se nós tentássemos reproduzir agora o mesmo que em junho, numa eleição em que centenas de candidatos pedirão votos, nós desapareceríamos do cenário. É uma característica do nosso sistema eleitoral”, justificou.

Notícias sobre:

eleições 2018 marlon reis