Na Agrotins, Dimas se reúne com associação e fala em equilibrar política fiscal

O pré-candidato ouviu reclamações da classe com relação à carga tributária adotada no Estado

Em reunião com a diretoria da Aprosoja-TO (Associação dos Produtores de Soja e Milho do Tocantins), o pré-candidato a governador Ronaldo Dimas (PL) ouviu duras reclamações da classe com relação à carga tributária adotada pelo governo do Estado que, segundo os produtores, desequilibra a competitividade da produção tocantinense. Os agricultores afirmaram que não são ouvidos pelo governo e chegaram a impetrar ações na Justiça contra cobrança de ICMS sobre o frete de produtos exportáveis. “Muitos produtores estão deixando de investir no Tocantins para investir no Maranhão e no Mato Grosso por conta da carga tributária mais alta no Tocantins”, informou o presidente da Aprosoja, Dari Fronza.

 

A diretoria reunida na Agrotins com o pré-candidato também apontou o excesso de tributação com o ICMS do diesel (25%) e que o valor arrecadado não é investido nas rodovias que estão em péssimas condições. Citaram ainda as pontes de madeira e a demora na concessão de licenças como outros fatores que atrasam um desenvolvimento mais acelerado do agronegócio no Estado. Segundo a associação, o Tocantins tem 73 municípios com produtores de soja e milho, sendo 1,3 milhão de hectares plantados. “Poderíamos já estar plantando em 2 milhões de hectares. Há investidores interessados mas não há incentivos”, explicou Maurício Buffon, diretor-tesoureiro da Aprosoja.

 

Ronaldo Dimas explicou aos produtores como conseguiu quintuplicar a economia de Araguaína com uma política fiscal justa, desburocratização e parcerias com a iniciativa privada. “Fizemos tudo isso dialogando com as entidades que representavam o setor produtivo e os trabalhadores que, inclusive, indicaram membros para nossa equipe técnica. Saber ouvir é o primeiro passo para resolver esses problemas, mas nós já temos encaminhadas algumas soluções e vamos fazer uma política fiscal equilibrada com os outros estados, sem guerra fiscal. As licenças podem ser simplificadas partindo do princípio da boa-fé do investidor, como fizemos em Araguaína, mas com uso da tecnologia para controlar o aproveitamento das nossas terras. E, quanto as estradas, vamos investir R$ 2 bilhões em dois anos, na reconstrução e construção das rodovias e acelerar os processos de federalização e concessão”, comprometeu-se o pré-candidato.

 

Novas rodovias

 

Os produtores pediram ao pré-candidato total empenho na viabilização da construção da TO-500 (Transbananal) que liga o Tocantins ao Mato Grosso. Segundo eles, há investidores privados interessados. Dimas citou ainda outros trechos de rodovias que precisam ser completados no Estado, somando mais de 300 quilômetros que são urgentes e vão impactar positivamente a produção do Estado. “Dá pra fazer com recursos próprios, basta ter planejamento. Vamos planejar o Estado para 20 anos, com ações de curto, médio e longo prazo. Fizemos isso em Araguaína e a cidade está colhendo os resultados de uma grande transformação”, finalizou Ronaldo Dimas.

 

Foto: Divulgação/Ascom Ronaldo Dimas

Comentários (0)