Palmas, Tocantins -

Política


Em Dianópolis
721 visualizações

Padre Gleibson rebate críticas de Salomão e fala como entregou prefeitura

Em carta aberta à população de Dianópolis, o ex-prefeito apresentou um resumo do que foi feito em sua gestão e as “reais condições” em que entregou a administração no dia 31
- Atualizada em
Descrição: Ex-prefeito de Dianópolis, Padre Gleibson Moreira Divulgação

O ex-prefeito de Dianópolis, Padre Gleibson Moreira, rebateu as críticas do atual gestor da cidade, José Salomão (PT), apresentando um resumo do que foi feito em sua gestão, bem como afirmando as reais condições em que entregou a administração municipal no dia 31. As informações eram de que o município teria sido deixado “sucateado”.

 

Na carta aberta, direcionada à população de Dianópolis, Padre Gleibson relatou que em janeiro de 2017, quando assumiu a administração do município, o cenário encontrado foi de dívidas com servidor municipal, com fornecedores, além de outras realidades, que no decorrer dos quatro anos se dedicaram diariamente ao trabalho de recuperar Dianópolis, pagar as dívidas e ter crédito na praça.

 

Falou sobre o estádio municipal, que encontrou "em estado de abandono", porém realizaram reformas por meio da Secretaria Municipal de Esportes no que diz respeito a arquibancadas, poço artesiano no local para molhar o gramado e, que nos últimos meses, realizaram um processo de compra da grama esmeralda para troca do gramado. Afirmou que não deixaram o estádio abandonado, mas com obras, que não foram concluídas, mas deixaram "a grama e o transporte dessa grama pagos também a empresa que faria o plantio, serviço inclusive que já está sendo feito", complementou. 

 

O ex-prefeito mencionou a Praça Liberato Póvoa, do Centro, que foi revitalizada com recurso próprio do tesouro municipal; a praça da Capelinha, feita por meio do Ministério do Turismo. Gleibson disse que as obras da Praça da Liberdade e Salvador de Abreu Valente não foram concluídas, mas ficaram empenhadas e com saldo financeiro em conta para serem pagos assim que forem concluídos os serviços, uma vez que a empresa está esperando os bancos e lixeiras chegarem. "A parte de jardinagem ficou paga e a empresa já está fazendo o serviço", pontuou. 

 

Citou outras questões, a exemplo da situação da garagem municipal que, de acordo com ele, "a situação da garagem é uma ferida que precisa ser resolvida, situação complicada que se estende de gestão em gestão, lembro ainda que o muro foi feito na nossa gestão", pontuou.  Destacou também a excelência da equipe que o acompanhou nesses últimos quatro anos.

 

Padre Gleibson disse que se querem fazer auditoria, será o primeiro a ser a favor. "Até porque é uma questão de transparência. Eu não brinquei de ser prefeito", frisou.

 

Confira aqui a íntegra da Carta Aberta