Palmas, Tocantins -
Categoria Articulista
1.268 visualizações

Pesquisa do Diap aponta Gomes como único “Senador Cabeça” do TO este ano

Os “Cabeças” do Congresso Nacional são, na definição do Diap, aqueles parlamentares que conseguem se diferenciar dos demais pelo exercício de todas ou algumas das qualidades e habilidades.
- Atualizada em
Senador é estreante na pesquisa. Jefferson Rudy - Agência Senado

O senador Eduardo Gomes (MDB) é o único parlamentar do Tocantins cujo nome figura na lista dos “Cabeças do Congresso Nacional 2019”, devido sua habilidade no quesito articulista. O levantamento é do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), que aponta uma renovação inédita de 53% entre os protagonistas, tanto na Câmara dos Deputados como no Senado.

 

Os “Cabeças” do Congresso Nacional são, na definição do Diap, aqueles parlamentares que conseguem se diferenciar dos demais pelo exercício de todas ou algumas das qualidades e habilidades aqui descritas. Ao todo, são 71 deputados federais e 29 senadores. Eduardo Gomes aparece entre os 17 novos “cabeças” em 2019. Ele se destaca como “articulista”, que é aquele parlamentar com excelente trânsito nas diversas correntes políticas, cuja facilidade de interpretar o pensamento da maioria os credencia a ordenar e criar as condições para o consenso.

 

Entre os atributos que caracterizam um protagonista do processo legislativo, destaca-se a capacidade de conduzir debates, negociações, votações, articulações e formulações, seja pelo saber, senso de oportunidade, eficiência na leitura da realidade, que é dinâmica, e, principalmente, facilidade para conceber ideias, constituir posições, elaborar propostas e projetá-las para o centro do debate, liderando sua repercussão e tomada de decisão.

 

A pesquisa inclui apenas os parlamentares que estavam no efetivo exercício do mandato no período de avaliação, correspondente ao período de fevereiro a junho de 2019.

 

Apenas cinco estados não possuem representantes na elite do Congresso Nacional do ano de 2019. São eles: Espírito Santo, Mato Grosso, Pará, Rio Grande do Norte e Roraima. A quantidade de parlamentares por unidade da Federação varia de 21, no estado de São Paulo, a um nos estados do Acre, Distrito Federal, Rondônia e Tocantins.

 

Para a classificação e definição dos nomes que lideram o processo legislativo, o Diap adotou critérios qualitativos e quantitativos que incluem aspectos posicionais (institucionais), reputacionais e decisionais.

 

Ações e bastidores

 

Além destes métodos, geralmente aceitos pelos cientistas políticos, o Diap vem buscando também a aplicação da abordagem da não-decisão, caracterizada por ações de bastidores destinadas a ocultar ou criar barreiras ou obstáculos à exposição do conflito, evitando que matérias com potencial explosivo ou ameaçador sejam incluídas na agenda política.

 

Com base nos critérios acima, a equipe do Departamento fez entrevistas com deputados e senadores, assessores das duas Casas do Congresso, jornalistas, cientistas e analistas políticos, e promoveu, em relação a cada parlamentar, exame cuidadoso das atividades profissionais, dos vínculos com empresas ou organizações econômicas ou de classe, da formação e vida acadêmica, além de levantamentos minuciosos de pronunciamentos.

 

Considera-se também apresentação de proposições, resultados de votações, intervenções nos debates do Legislativo, frequência com que é citado na imprensa, temas preferenciais, cargos públicos exercidos dentro e fora do Congresso, relatorias de matérias relevantes, forças ou grupos políticos de que faça parte, além do exame minucioso dos perfis políticos e ideológicos de cada parlamentar