Palmas, Tocantins -

Política


Pré-candidatura
952 visualizações

Raul Filho aguarda recurso sobre processo e diz que não disputará com liminar

O ex-prefeito é pré-candidato pelo MDB à prefeitura de Palmas. Entretanto, diz que não disputará cargo com liminar e espera resultado de recurso do processo judicial
- Atualizada em
Reprodução

A candidatura do ex-prefeito de Palmas, Raul Filho (MDB), poderá ser registrada para que o mesmo dispute à prefeitura de Palmas nas eleições de 2020, pois ele possui liminar vigente que restabelece seus direitos políticos. Contudo, Raul declara que não disputará as eleições somente com liminar e prefere aguardar resultado do processo que o incrimina, para que possa então realizar sua candidatura com a liberação da justiça.  A informação é do próprio pré-candidato em entrevista exclusiva ao T1, concedida na noite desta quarta-feira, 26. 

 

Raul é pré-candidato pelo partido MDB à prefeitura de Palmas nas eleições de 2020. 

 

Conforme última decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Raul tornou-se inelegível, no dia 01 de junho deste ano. Ele aguarda julgamento que o torne elegível para as eleições de 2020. Ainda que a decisão não seja favorável a ele, o mesmo dispõe de decisão liminar restabelecida pelo Tribunal Regional Federal da Primeira Região, ordenando o restabelecimento dos seus direitos políticos. Encaminhada no dia 25 de junho, e despachada ao Tribunal Regional Eleitoral no dia 29 de junho, a liminar o libera para realizar sua candidatura à prefeitura de Palmas.

 

No entanto, Raul tem convicção de que não quer ser candidato com liminar, pois não se sente confiante, já que liminar pode perder a validade a qualquer momento. “Eu estou convencido de que eu não quero nem devo, mesmo podendo registrar minha candidatura, ser candidato com liminar, coloquei pro MDB desde que fui convidado a me filiar ao partido, é desconfortante, mesmo tendo respaldo do partido”, explica.

 

O que o incrimina é um processo ambiental de 2008, e contou com várias fases. O processo está em fase recursal para julgamento no Tribunal Regional Federal da Primeira Região, onde todas as quintas-feiras são pautadas matérias para julgamentos. Sendo assim, a pré-candidatura de Raul depende de liberação do processo, que tanto ele, quanto o partido, esperam que ocorra nesta quinta-feira, 27, ou na próxima, dia 03 de setembro.

 

Diante dos fatos, Raul se mostra seguro de uma decisão positiva do Tribunal “eu estou com esperança e confiante de que quinta feira, 03, a gente possa ter a pauta desse processo, e sei que o resultado é altamente favorável, caso não seja, nós vamos repensar isso e em um nome que nos convença e que nos represente bem e nós vamos à luta com esse nome, e eu apoio, como se fosse minha própria candidatura”, ressalta.

 

O que decidiu o pré-candidato Raul junto com o partido

 

Em reunião do partido, realizada nesta segunda-feira, 24, o MDB estabeleceu esperar pela resposta do julgamento até a próxima quinta-feira, 03 de setembro. Caso o processo não seja pautado, irão realizar outra reunião. 

 

O pré-candidato se mantém positivo e confiante de que a decisão irá sair nesta quinta, 27, ou na outra, 03. Ainda assim, o partido apoia, se for vontade de Raul, sua candidatura com liminar.

 

Para Raul Filho, toda a sua candidatura depende desse julgamento. “Estou com muita esperança de que seremos vitoriosos mesmo. Eu te diria, de 1 a 10, 9,5, pelos antecedentes favoráveis do processo”, declara.

 

Até o presente momento, não há resposta referente ao processo na pauta de diário do TRF1.

 

Convenções Partidárias

 

A quatro dias do início das convenções partidárias e com a incerteza do nome de Raul na pré-candidatura à prefeitura, o partido já possui uma data acordada para a convenção partidária: dia 15 de setembro, o que faz referência ao número político do grupo.

 

Entenda


Após o ex-prefeito de Palmas, Raul Filho, ser condenado a nove anos de reclusão do cenário político, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o tornou legível após o juiz Lauro Augusto Moreira Maia, entender que, como ele já foi absolvido por uma condenação de crime ambiental, e sendo assim, não havia motivo para manter sua inelegibilidade. A decisão teve duração de apenas quatro dias, e o juiz Lauro Augusto voltou atrás em seguida, quando soube da suspensão dos efeitos da condenação de Raul Filho por crime ambiental. Ou seja, o ex-prefeito continua inelegível, pelo menos até o julgamento do TRF1.