Palmas, Tocantins -

Política


Saúde
2.526 visualizações

Reunião com Kátia vai abordar aumento salarial dos profissionais de enfermagem

Representantes da categoria e de hospitais participarão da reunião no Senado Federal na próxima quarta-feira, 25
- Atualizada em
Descrição: Senadora Kátia Abreu (PP-TO) Reprodução

Nesta sexta-feira, 20, a senadora Kátia Abreu (PP) noticiou em sua conta do Facebook a data da reunião, que acontecerá no dia 25 de agosto, e vai tratar sobre o Projeto de Lei 2.564/2020 que tramita no Senado Federal. O documento fixa nacionalmente o salário base dos enfermeiros em R$ 7.315,00, dos técnicos de enfermagem em R$ 5.120,50 (70% do piso), e dos auxiliares de enfermagem e das parteiras em R$ 3.657,50 - exatos 50% do piso da categoria.

 

O Projeto de Lei pede que estabeleça a carga horária máxima de 30 horas semanais para profissionais de enfermagem. A proposta recebeu o apoio de um milhão de internautas no portal e-Cidadania do Senado.

 

Conforme a parlamentar, a reunião com os senadores e com as entidades que representam os profissionais e os hospitais, fortalecerá a busca da categoria para ter os seus direitos reconhecidos. “Na próxima quarta-feira, às 14h, na sala do presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco - eu, mais alguns senadores e as entidades que representam vocês e, representam os hospitais, principalmente privados, vamos chegar a um acordo para seu piso salarial. Fiquem tranquilos, que nós estamos lá para lutar por vocês, são 2,5 milhões de enfermeiros em todo Brasil, no Tocantins são mais de 20 mil, e ganhar essa miséria, não é possível, temos que fazer justiça”, defende a senadora tocantinense.

 

O Projeto (PL 2.564/2020) é de autoria do senador Fabiano Contarato (Rede-ES). De acordo o autor, desde o início da Pandemia, 57 mil enfermeiros foram contaminados, “A dignidade salarial é uma verdade que tem de se impor a esses profissionais”, aponta o parlamentar.

 

Já a relatora do PL, senadora Zenaide Maia (Pros-RN), pondera que com a reforma tributária, há recursos orçamentários suficientes para cobrir os gastos com o piso salarial.