Palmas, Tocantins -
Sessão do Pleno do TRE
505 visualizações

TRE Tocantins julga nesta quarta registros de candidaturas de Carlesse e Kátia Abreu

Ainda para esta quarta é aguardado o julgamento dos registros de candidaturas de Kátia Abreu (PDT) e de seu vice, Marco Antônio Costa, assim como o de Mauro Carlesse e de seu vice, Wanderlei Barbosa
- Atualizada em
Julgamentos acontecem até esta sexta-feira Divulgação/TRE-TO

Dando continuidade aos julgamentos de coligações e candidaturas para a eleição suplementar de 3 de junho, o Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) julga nesta quarta-feira, 16, o Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP) da Coligação “Governo de Atitude”, do candidato Mauro Carlesse (PHS), e da chapa do PSOL, que tem como candidato a governador Mário Lúcio Avelar.

 

A primeira decisão do Pleno do TRE-TO nesta manhã foi o indeferimento, por parte dos juízes eleitorais, do DRAP do PSOL Tocantins. De acordo com a relatora do processo, a desembargadora Ângela Prudente, o partido encontra-se com situação suspensa por falta de prestação de contas de 2015. 

 

Ainda para esta quarta é aguardado o julgamento dos registros de candidaturas de Kátia Abreu (PDT) e de seu vice, Marco Antônio Costa, assim como o de Mauro Carlesse e de seu vice, o deputado Wanderlei Barbosa. Todos os julgamentos serão finalizados até esta sexta-feira, 18.

 

Até o momento, foram deferidos os DRAPs das coligações de Kátia Abreu, Carlos Amastha (PSB), Vicentinho Alves (PR) e do diretório da Rede Sustentabilidade, do candidato Márlon Reis. Os candidatos que já possuem os registros de candidatura deferidos são Vicentinho e Márlon Reis. O ex-prefeito de Palmas teve sua candidatura indeferida ontem e informou que vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral.

 

Pedidos de impugnação

 

A coligação de Carlos Amastha e Márlon Reis entraram com pedido de impugnação da candidatura de Kátia Abreu. Ambos alegam que a candidata não obedeceu ao prazo de filiação partidária de seis meses. A senadora filiou-se ao PDT no início de abril.

 

Também contra o registro de Wanderlei Barbosa, vice de Carlesse, recorreram as coligações "A vez dos tocantinenses", do candidato Vicentinho Alves, a coligação "Reconstruindo o Tocantins", de Kátia Abreu, e "A verdadeira mudança", de Amastha.

 

Já tentando barrar o registro de candidatura de Mauro Carlesse, entraram com pedidos de impugnação as coligações do ex-prefeito de Palmas e de Vicentinho.