Palmas, Tocantins -
Operação Jogo Limpo
2.640 visualizações

Vereadores criticam ação da polícia: “excessos”; um dos alvos, Freitas comenta

Entre os alvos dos mandados de prisão, estavam três vereadores: Rogério Freitas (preso e solto), Folha Filho (preso) e Major Negreiros, que está em viagem internacional e retorna a Palmas nesta quarta
- Atualizada em
Câmara de Palmas comenta ação da Polícia Civil Divulgação/CMPalmas

Durante sessão realizada na manhã desta terça-feira, 7, vereadores da Câmara de Palmas criticaram o que chamaram de “excessos” da Polícia Civil durante as diligências da segunda fase da Operação Jogo Limpo, realizada na última sexta-feira, 3, em três gabinetes da Casa de Lei. Entre os alvos dos mandados de prisão, estavam três vereadores: Rogério Freitas (preso e solto), Folha Filho (preso) e Major Negreiros, que está em viagem internacional e retorna a Palmas nesta quarta-feira, 8.

 

Ao usar a tribuna, Rogério Freitas destacou que o Parlamento não pode ser prejudicado. “Fui alvo da operação e não vim aqui repudiar. Não tenho compromisso com ilícito, fui ouvido pela autoridade policial e acredito que nem serei nem denunciado. Vi um vídeo como se aqui fosse Hollywood, 40 delegados cumprindo mandato contra 3 vereadores. Agora não podemos aceitar que o parlamento seja visto pela imprensa como se fosse um antro compromissado com o errado e com o ilícito, porque não é”, frisou.

 

O vereador Milton Neris também se pronunciou sobre o assunto. “Invadiram residência que nem tem gente morando, entraram quebrando porta, tratando como bandidos perigosos. O vídeo divulgado pela Polícia Civil se assemelha ao filme ‘Tropa de Elite’, mostrando a Câmara Municipal, como se a instituição estivesse relacionada à operação”, afirmou.

 

Neris ainda disse que “achei um excesso e acho que o Governador Carlesse tá gastando muito dinheiro para fazer filme para promover a instituição Polícia Civil e deveria gastar esse dinheiro no cuidado com os hospitais”.

 

Sobre o presidente da casa, vereador José do Lago Folha Filho, o advogado Paulo Roberto afirmou que o mesmo se apresentou espontaneamente na tarde de ontem, 6. “Ele se declara inocente das acusações, que na verdade não têm razão de ser”, disse.

 

A primeira sessão ordinária do semestre na Câmara de Vereadores de Palmas foi realizada nesta terça. Os parlamentares retornam à Casa de Leis em meio ao desenrolar da segunda fase da operação da Polícia Civil. Com o presidente da Casa, Folha Filho, ausente, a sessão foi presidida pelo vice-presidente, vereador Léo Barbosa.