Palmas, Tocantins -
Governador em exercício
1.909 visualizações

Wanderlei fala de gestão, mudança de partido, eleições e Cinthia Ribeiro

Wanderlei Barbosa (PHS) assumiu oficialmente a gestão do Estado nesta terça, 09, na qual ficará até o dia 23 deste mês. Sua primeira agenda do dia foi uma entrevista coletiva com imprensa.
- Atualizada em
Governador em exercício, Wanderlei Barbosa

“Governo não para porque o governador saiu. O Governo anda. Anda dentro de uma equipe bem formada. Uma equipe qualificada para fazer o andamento das ações de governo” disse o vice-governador do Tocantins, Wanderlei Barbosa (PHS), que assumiu oficialmente, hoje, 09, a gestão do Estado, e na qual ficará até o dia 23 deste mês. Sua primeira agenda do dia foi uma entrevista coletiva com os portais de imprensa do Tocantins. Nesses 15 dias gerindo o Estado, o que garantiu ser um bom período, Wanderlei ressaltou que focará em dois pontos. Observar as obras estaduais que estão em andamento e pedir agilizada quando for necessário.  

 

O governador em exercício também falou sobre a possível mudança de partido, já que a sua sigla, o PHS, não atingiu a cláusula de desempenho no pleito passado; as eleições municipais de 2020; a relação do executivo com a Assembleia Legislativa; Palmas e a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB). 

 

15 dias  

 

O governador do Tocantins, Mauro Carlesse (DEM), assinou o Termo de Transmissão de Cargo ao vice-governador, ontem, 08, com validade a partir desta terça-feira, 09. Porém, Wanderlei conferiu que já fez os primeiros despachos ainda na segunda. “Despachamos com o secretário de Turismo (Agência de Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa - Adetuc). É o momento de turismo no nosso Estado, com as nossas praias, e temos que olhar principalmente os acessos a elas. Recuperando as rodovias. A maioria em fase de conclusão” disse.  

 

Wanderlei comentou que não existe, neste momento, excesso de entusiasmo por sua parte, já que vem trabalhando em conjunto com o governador Carlesse na elaboração das políticas públicas do Estado. “Nós iremos olhar muitas coisas nesses 15 dias, mas sem modificar os rumos do governo, que é um governo de planejamento” manifestou.  Porém, acrescentou que pretende, nesse período, buscar informações e acrescentar o que for necessário.  

 

O governador em exercício também não pretende modificar de forma provisória nenhuma estrutura de equipe. “Temos uma equipe consensual .Quando Carlesse monta sua equipe, ele conversa com seu núcleo político. Os secretários que estão aí foram definidos dentro de um planejamento. Não é um governo isolado, mas que ouve. Não há necessidade de fazer modificações. Apenas trabalhar de forma coesa” finalizou sobre o assunto.  

 

 

Partido e eleições 2020 

 

Ao falar sobre política, Wanderlei expôs que deve deixar o seu partido em breve que já perdeu figuras importantes no Estado, como o próprio governador Mauro Carlesse, e não atingiu na eleição de 2018 a cláusula de desempenho, como determina a Constituição. Barbosa informou que recebeu convites do PP, PPS e do DEM, sigla de Carlesse.  

 

Uma nova sigla também lhe daria mais fôlego para TV, Rádio e estruturas partidárias para as eleições 2020. Wanderlei não escondeu o desejo de disputá-la, mesmo afirmando que ainda se trata de um assunto a ser discutido. Para ele, ser gestor de Palmas é um “sonho a ser realizado”.  

 

Cinthia e Taquaruçu 

 

Outro ponto sobre Palmas, o governador em exercício comentou sobre a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) ao ser questionado pelo T1 Notícias. Disse que tem respeito por ela, mas não a visita “por questões ideológicas”. Acerca do trabalho que Cinthia vem desenvolvendo à frente da Prefeitura, Wanderlei se ateve a dizer que torce para que o "Governo de Palmas possa dar certo, mas no momento que vejo aí, não tem sido feito aquilo que o povo espera”, sentenciou.

 

Sobre seu domicílio político, o Distrito de Taquaruçu, Wanderlei afirmou que o Estado possui pretensões em melhorar o local para atender uma demanda permanente de turismo. "Não obras pontuais", avaliou. Ele conferiu que seu filho, o vereador de Palmas Léo Barbosa (SD), já encaminhou um projeto para a construção de uma ciclovia que liga Taquaralto ao Distrito e os planos da gestão Carlesse em duplicar a TO-030, também entre Taquaralto e Taquaruçu.  

 

Wanderlei também comentou um possível estudo e uma cooperação, entre Estado e município, para a pavimentação de uma via que já existe, mas que não possui estrutura, que liga diretamente o Plano Diretor de Palmas a Taquaruçu. “Era um sonho do meu pai (Fenelon Barbosa, ex-prefeito da Capital). Ele já havia desenhado esse trajeto”, observou. Porém, o governador em exercício afirmou que é uma obra que carece de bastante estudo e que precisa ser discutida do “zero”. 

 

Saúde e LRF 

 

Durante a entrevista, Barbosa não deixou de falar dos maiores gargalos hoje do Estado, a Saúde e o enquadramento do Estado na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que hoje está nos 55%. “Temos que enxugar a máquina pública, aumentar a capacidade de crescimento. Enquadrar nas medidas devidas para buscar investimentos. Dizem que há um excesso de servidores, mas diminuímos uma máquina de 25 mil contratados para 13 mil. Vamos diminuir ainda mais, para entrar no enquadramento da responsabilidade fiscal” pontuou. 

 

A respeito da Saúde, disse que o governo vem buscando melhorar os serviços. “Ainda não alcançamos o queríamos, mas vamos alcançar.  Este não é só um problema do Tocantins, mas do país. Era muito pior. Temos a Saúde como um ponto importante, mas sabemos que não se conserta uma situação do Estado que vem se arrastando há tanto tempo, nem em 15 dias e nem em 6 meses”, argumentou.  Ele falou das obras no Hospital Regional de Gurupi e a ampliação do Hospital Geral de Palmas.  

 

Assembleia  

 

Wanderlei também foi questionado sobre as consecutivas vitórias da gestão nas Medidas aprovadas pela Assembleia Legislativa. O político disse que é um resultado dos diálogos entre os secretários estaduais com os deputados, que, quando necesssário, também mantém uma aproximação com os parlamentáres.  

 

“O governo tem tido um comportamento de aproximar todas as políticas com o governo... É através da experiência minha e do Carlesse. Eu com dois mandatos de deputado e ele como presidente da Casa (Assembleia Legislativa). Temos boa convivência (com os deputados). Temos a capacidade de dialogar com esse poder que nós consideramos importantíssimo para a vida da sociedade como representantes” garantiu. 

 

"Nem todos os protejos serão aprovados por todos, mas temos buscado a maioria para fazer conosco essa gestão. E essa gestão se dá com aprovação de projetos da Assembleia. Aproveito, inclusive, para agradecer esse apoio e confiaça que a Aassembleia tem dado ao poder executivo" concluiu.