Palmas, Tocantins -

Política


Protesto dos caminhoneiros
913 visualizações

Zé Trovão mantém estradas bloqueadas e quer vídeo de Bolsonaro pedindo liberação

O caminhoneiro questiona áudio de Bolsonaro sobre liberação das rodovias e pede vídeo do presidente. "Se é para abrir, faça um vídeo, fale data e hora e nos peça, daí a gente vai atender o senhor”
- Atualizada em
Descrição: Zé Trovão pede apoio do presidente em vídeo Divulgação

O caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, mais conhecido como Zé Trovão, está foragido da Justiça e vem publicando vídeos nas redes sociais sobre as manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro e contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que resultaram no bloqueio de várias rodovias do país, incluindo estradas do Tocantins. 

 

Após Bolsonaro gravar um áudio pedindo que os caminhoneiros liberem as estradas, pois a ação pode atrapalhar a economia, Zé Trovão questionou a veracidade do áudio e pediu um vídeo do presidente, com a confirmação do seu posicionamento. “Se o senhor quer realmente isso, peça diretamente para nós. Nós estamos aqui, sempre apoiamos o senhor. Veja bem tudo o que está acontecendo. A gente precisa resolver tudo isso. Precisamos de uma resposta do senhor. Se é para abrir, faça um vídeo, fale data e hora e nos peça, daí a gente vai atender o senhor”, declarou. 

 

Em outro vídeo, o caminhoneiro pede  “pelo amor de Deus” o apoio do presidente sobre as manifestações. “Presidente, o povo precisa do senhor, presidente. Presidente, o senhor está nos convocando desde o começo do ano. Presidente, estão atacando o nosso povo aí em Brasília, presidente. A polícia está usando da força e o senhor é a nossa última salvação, presidente, nós vamos trancar todo o Brasil, porque nós estamos do lado do senhor, presidente”, disse.

 

Zé Trovão ainda pede para que Bolsonaro não deixe o seu povo ser oprimido. “Faz o que tem que ser feito, que o senhor tem o seu povo do seu lado. Eu estou do lado do senhor, o povo brasileiro está do lado do senhor. Pelo amor de Deus, presidente”, encerrou.