Palmas, Tocantins -
Turismo e Cultura

Conheça Brasília além da política

Parques, museus, boas opções gastronômicas e obras-primas do arquiteto Oscar Niemeyer dão ao turista vários motivos para visitar Brasília.
- Atualizada em
Brasília Reprodução

Constantemente lembrada pela política, a capital nacional é muito mais do que plenárias e reuniões ministeriais. Parques, museus, boas opções gastronômicas e obras-primas do arquiteto Oscar Niemeyer dão ao turista vários motivos para visitar Brasília.

 

Projetada para se tornar a capital do Brasil em 1960, a cidade tem em sua porção central o formato de um avião (Plano Piloto), dividido entre Asa Sul, Asa Norte e Eixo Monumental, ou Eixão, onde concentram-se ministérios e outros prédios oficiais.

 

A boa notícia é que há passagens de avião baratas para Brasília o ano todo. Para checar preços, clique aqui. 

 

Lago Paranoá

 

Formado por águas represadas do Rio Paranoá, esse belíssimo lago artificial pode ser chamado de praia dos brasilienses. Aos finais de semana, a paisagem de águas plácidas é recortada por lanchas, barcos e jetskis. Os praticantes de esportes náuticos, como vela e kitesurf, também são frequentadores assíduos do lago.

 

Os entornos do Paranoá têm uma vida noturna e social movimentada, com bares, restaurantes e casas de show. Destaque para o Pontão do Lago Sul, com uma vista de arrancar suspiros.

 

Rua dos Restaurantes

 

A quadra 209/210 da Asa Sul é o endereço preferido dos amantes da boa gastronomia em Brasília. Na chamada Rua dos Restaurantes, há opções para todos os paladares e ocasiões, seja um happy hour com os amigos, um jantar romântico ou um almoço em família. Alguns destaques são o Universal Diner, com uma surpreendente decoração inspirada nos anos 70, e a aconchegante cafeteria Espresso Mogiana. Para quem gosta de frutos do mar, tem o La Plancha. No time da gastronomia italiana, o Pecorino é destaque.

 

Museu Nacional Honestino Guimarães

 

A sede do museu por si só já faz a visita valer a pena. O prédio todo branco e oval, cortado por uma longa rampa externa, foi um dos últimos da capital nacional a ser projetado por Niemeyer, já nos anos 2000, quando o arquiteto tinha quase 90 anos. Sem exposições permanentes, o espaço recebe diversos artistas e projetos, como exposições fotográficas e instalações interativas. O espaço em volta dele costuma receber shows e é muito querido por skatistas, por ser plano. Integra o Conjunto Cultural da República, junto com a Biblioteca Nacional

 

Memorial dos Povos Indígenas

 

O local guarda um importante acervo de várias etnias indígenas brasileiras. Destaque para a arte plumária do Urubu-Kaapor e para os bancos de madeira dos Yawalapiti. A cultura de diversos povos do Amazonas de do Alto Xingu está representada por um vasto acervo de máscara e instrumentos musicais. O espaço também recebe eventos com participação de lideranças indígenas. Inspirado em uma cabana indígena dos Yanomami, o prédio em espiral é mais uma obra-prima de Niemeyer. Inicialmente branco, foi adornado com desenhos geométricos de inspiração indígena.

 

Parque da Cidade

 

Um dos endereços preferidos dos brasilienses aos finais de semana, o Parque da Cidade é um dos maiores parques urbanos do mundo e o maior da América Latina. Excelente para praticar esportes, também oferece muitos eventos ao ar livre. Sua vegetação frondosa e o um belo lago são um refresco para quem quer escapar das altas temperaturas da capital. Frequentado por famílias e casais, grupos e corredores solitários. É cenário da música Eduardo e Mônica, da Legião Urbana.

 

Palácio do Catetinho

 

A primeira residência oficial de Juscelino Kubitschek em Brasília, é hoje um singelo museu, com móveis originais, dos anos 50, objetos pessoais do ex-presidente e exposição fotográfica. Recebe esse nome em referência ao Palácio do Catete, antiga residência presidencial no Rio de Janeiro. Também projetado por Niemeyer, é bem mais simples do que as tradicionais obras monumentais do arquiteto. Feito de madeira, em linhas retas, foi construído em apenas 10 dias.

 

Martinica Café

 

O primeiro café cultural da cidade é quase uma relíquia para muitos brasilienses. Fechado por um tempo, o café reabriu em 2018, após pedidos e até campanhas na internet para que ele voltasse. Famoso pelo bolo de chocolate meio amargo, tem também um belo cardápio de sanduíches, vinhos e cervejas artesanais. Tradicionalmente, o Martinica recebe diversos eventos culturais, como saraus e lançamentos de livros.

 

Salto Corumbá

 

Para quem quiser dar uma esticadinha no passeio por Brasília, e conhecer um pedaço das riquezas do Cerrado, essa magnífica cachoeira é um excelente destino. Com uma queda de 50 metros, é uma das mais bonitas da região de Pirenópolis, a poucos quilômetros de Brasília. A trilha é curta e fácil, o que torna o passeio convidativo para todas as idades.