Palmas, Tocantins -
Luiz Pires

Luiz Pires


Colunista do editorial Turismo

Serviço a bordo
3.059 visualizações

Latam promete bilhete 20% mais barato, mas deve cobrar por comida e até por água

Empresa divulgou novo sistema de venda de passagens para voos dentro do país, que inclui cobrança da alimentação. Atualmente a Latam oferece gratuitamente serviço, conforme rotas nos voos nacionais
- Atualizada em

A companhia aérea Latam divulgou que vai implantar um novo sistema de venda de passagens para voos dentro do país, que inclui cobrança da alimentação a bordo. A ideia é permitir que o passageiro possa adequar o valor da passagem a partir de um preço inicial, que aumenta conforme os serviços que forem incluídos. Questionada se haverá algum serviço gratuito para o passageiro, como água, a presidente da companhia no Brasil, Cláudia Sender, disse que a empresa ainda está estudante o que poderá se disponibilizado a bordo das aeronaves. O cardápio que está sendo desenvolvido pela Latam deve incluir cerca de 50 opções de comidas e bebidas. Atualmente a empresa oferece gratuitamente bebidas frias e quentes, sanduiches e salgados, de acordo com as diferentes rotas nos voos nacionais.

 

Outro serviço que já vem sendo oferecido aos clientes é a reserva de assento mediante o pagamento de uma taxa extra. O passageiro pode hoje escolher o assento no momento da compra da passagem, mas a escolha só é garantida após o check-in, o que só acontece 24 horas antes do voo. Se você quiser garantir uma poltrona com mais espaço na hora da compra, tem que pagar um valor a partir de R$ 30. Segundo a Latam, o novo sistema de vendas poderá levar a uma redução de até 20% no preço das tarifas mais baratas disponíveis para voos domésticos até 2020. Até lá, grupo da aérea pretende ampliar em 50% a quantidade de passageiros transportados. As filiais da empresa no Chile, Colômbia, Peru, Equador e Argentina também deverão implantar a mudança.

 

Outra companhia aérea que também está implantando mudanças nesse sentido é a British Airways, que já anunciou que deixaria de oferecer lanche de graça e está cobrando até água mineral. Neste mês a empresa inglesa anunciou plano planos para incluir mais um assento por fileira na classe econômica a partir de 2018. Com a diminuição na largura de assentos a British pretende criar mais 52 vagas em parte dos Boeing 777 de sua frota para voos de longa distância. As poltronas passarão de 280 para 332. Atualmente a configuração de assentos é a 3-3-3: três poltronas do lado esquerdo, três no centro e três do lado direito. Com a mudança para 3-4-3, serão quatro assentos no centro da aeronave. A alteração poderá incluir voos para o Brasil, já que os modelos que serão adaptados atualmente têm o Rio de Janeiro e São Paulo entre seus destinos.

 

Tendência

A companhia planeja também aumentar a capacidade de passageiros em sua frota de Airbus usadas em voos de curta distância. Esta é uma tendência entre as companhias aéreas: no início deste ano a Unied Airlaines confirmou que alteraria 19 aeronaves usadas em voos domésticos para o desenho 3-4-3. Em 2015, a Qatar Aiways disse que adotaria o mesmo desenho em sua frota de Boeing 777-300ER. Outras companhias que têm alguns 777 com a mesma configuração são a American Airlaines, Emirates, KLM, Air France e Air New Zealand.