Palmas, Tocantins -
Operação Jogo Limpo
1.574 visualizações

'Exposição desnecessária', classifica vereador Folha sobre ação da Polícia Civil

- Atualizada em
Presidente da câmara de Palmas disse que não sujaria nome por R$ 10 mil Divulgação

Após dar início a sessão desta quinta-feira, 9, o presidente da Câmara Municipal de Palmas, Folha Filho (PSD), comentou com a imprensa sobre o inquérito no qual foi citado na segunda fase da Operação Jogo Limpo. Ele afirmou que foi pego de surpresa com a notícia e no momento em que a polícia decretou sua prisão, estava cumprindo agenda de campanha na região Norte do Estado.

 

O parlamentar disse que foi acusado de receber R$ 10 mil de uma empresa envolvida no esquema da Fundação Municipal do Esporte e Lazer (Fundesportes). Folha assegura que não conhece a empresa. “Nunca falei com essa empresa. Não conheço o dono dessa empresa” sustentou.

 

“Pedi para minha esposa fazer os extratos da conta. Nem sempre o que tem na minha conta, sei do que se trata. Tenho outros negócios, o salário da Câmara, é difícil acompanhar a movimentação dos últimos quatro anos” ressaltou.

 

O parlamentar contou que exposição foi desnecessária pelo “tamanho de sua história em Palmas e no Tocantins” e que a imprensa deveria entender que a operação está ainda na fase inicial, portanto, algumas pessoas serão ouvidas.

 

A policia esteve no seu apartamento às 6 horas da última segunda-feira, 6, e, não encontrando o vereador, seguiu para sua antiga residência. Folha afirma que os policias quebraram as fechaduras das portas.

 

Candidatura

 

Folha garantiu que mantém sua candidatura à disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa e que será o candidato mais votado em Palmas. “Eu continuou com duas coisas, a disposição da Justiça, entregando sigilo telefônico e fiscal; e minha vida pública”.

 

Mais cedo, na tribuna, Folha havia dito que foi acusado de participar de um esquema no qual está sendo culpado de ter recebido R$ 10 mil. “Mexo com orçamento de R$ 40 milhões e devolvi quase de R$ 1 milhão economizando em todos os pontos da Câmara. Será que eu iria me envolver e derrubar toda minha história por R$ 10 mil?!”, questionou.

 

O presidente, após ser preso na segunda, prestou depoimento à Polícia Civil e deixou a Casa de Prisão Provisória de Palmas ontem, 8.