Palmas, Tocantins -
Eleição 2018
3.340 visualizações

Majoritária de Márlon Reis poderá fechar negociação com Irajá Abreu

Em carta pública, Reis afirma que não fará “aliança com famílias políticas que já governaram o Tocantins”
- Atualizada em
Com apoio de Kátia Abreu, Málon Reis e Irajá negociam fechar parceria Divulgação

Apesar de a negociação entre o pré-candidato a governo do Tocantins Márlon Reis (Rede) e o deputado federal Irajá Abreu (PSD) estar em estado avançado, nada ainda foi fechado e a chapa majoritária de Márlon continua em aberto.  A informação foi confirmada pela equipe de Márlon, que emitiu uma carta aberta nesta terça-feira, 24.

 

Em determinado momento, Márlon afirma na carta que não fará aliança com “famílias políticas que já governaram o Tocantins”. Questionado se a afirmação não abrangeria Kátia Abreu (PDT) e sua prole, o assessor de Márlon afirmou que não, “apenas as famílias Siqueira e Miranda”, e completa: “é um novo tempo no Tocantins, onde precisamos virar essa página e deixar essas oligarquias para trás”. Na carta, Márlon afirma que respeita a história de cada um deles, mas entende que chegou a hora de “fechar um ciclo político no Estado e dar início a um novo momento para o Tocantins”.

 

Kátia Abreu

 

Caso seja firmada a parceria entre Rede e PSD, Márlon encabeçará a chapa majoritária como pré-candidato a governo do Estado e Irajá Abreu postulará uma vaga no Senado. Kátia, que ainda tem quatro anos para terminar sua gestão, desistiu de concorrer ao governo do Estado e vem se dedicando à candidatura do filho.

 

Na última semana, durante a convenção nacional do PDT, a senadora afirmou que “Ciro Gomes possui o melhor projeto para o Brasil”, confirmando a especulação da revista Veja de que ela estaria desenvolvendo o Plano de Governo do presidenciável.

 

A confirmação de Irajá Abreu enquanto pré-candidato a senador estremeceu a relação de Kátia com Raul Filho, que desabafou: "mesmo quando todos falaram para eu não confiar por que ela não cumpre acordos, ainda assim acreditei", ao comentar sobre o sua candidatura ser barrada.

 

Carta

 

Ainda na carta divulgada nesta terça-feira, 24, o pré-candidato a governo pela Rede afirmou que “as alianças serão construídas com pessoas e partidos que comungarem desses propósitos – dar início a um novo momento para o Tocantins – e que também queiram promover essa grande guinada que o Tocantins precisa e espera”.